Bienal do Livro – Parte I

Oi gente linda! Ontem foi o primeiro dia aberto ao público geral da 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. E eu matei aula para estar lá antes mesmo de abrirem as portas para o evento. O Anhembi é enorme, e a emoção de estar num espaço daqueles envolta por livros não está escrita. Foi awesome.

Durante a manhã, me dediquei a procurar informações e encher o saco das minhas editoras favoritas atrás de lançamentos de alguns autores. Fiquei decepcionada. Nem a Rocco nem a Record (que eu descobri se pronuncia Récord, não Record) tinham lançamentos pra mim. Queria DEMAIS levar o meu “A Breath of Snow and Ashes” da Diana Gabaldon. Por sinal, fica aqui a decepção: os livros dela estavam ESCONDIDOS no estande da Rocco, empilhados num cantinho, pra ninguém ver… Horrível! E a Record não tinha nenhum Sharpe novo pra mim. Quando perguntei, disseram-me que sairia mês que vem, enquanto que o povo da Rocco disse que estava na gráfica. Não entendo porque não aproveitaram o MEGA EVENTO que é a Bienal pra lançar esses livros. Ia ser um sucesso. Especialmente pra quem quisesse me ver chorando.

Depois de tamanha decepção, fui ao estande da Saraiva. Lá, enquanto desviava das criancinhas em excursão, encontrei três livros que eu queria ler faz algum tempo por preços incríveis: Abraham Lincoln – Vampire Hunter; Sense and Sensibility and Sea Monsters e Aventuras de Alice no País das Maravilhas & Através do Espelho e o que Alice Encontrou por Lá.

Quando eu passei em frente ao estande da Barsa, uma mulher me chamou pra tentar vender a coleção de Bíblias que é a Barsa. Ela ficou meia hora me mostrando as vantagens incríveis da Barsa e como ela tem três formatos agora: impresso, cd e internet e blablabla. Ela ficou brava comigo quando eu disse que não poderia levar a Barsa pelos meros 3mil reais porque eu sou pobre e não posso arcar com 140 reais por mês e que a Barsa não é útil pra mim, na faculdade, porque eu preciso de livros mais específicos e tal. Escapei por pouco do enforcamento.

Na hora do almoço, encontrei uma amiga minha e comi um cachorro quente meio zoado, mas que matou a fome e ficamos zanzando pela feira. Ela comprou um livro de comunicação social e um boneco de lobisomem para montar. Vimos todos os estandes da feira, sem brincadeira.

Encontramos o Zé do Caixão e o Walcyr Carrasco. Tirei fotos e tentei pedir o autógrafo do Walcyr, mas ele deu um fora na gente, dizendo que precisava ir pra outro lugar…

E então, voltamos à Record, porque é perto do salão de idéias, que era onde ia ter palestra com o André Vianco e o Conn Iggulden. Pegamos o papelzinho pra sessão de autógrafos do Conn e o pra entrar na palestra do André e eu comprei mais dois livros: Diários do Vampiro – Reunião Sombria e Fallen (que se pronuncia Follen, não Fállen, valeu povo da Récord) e levei uma bolsa linda, caneta, bóton, adesivo, marcadores de página e poster de brinde. Quase me rendi à minha vontade absurda de levar Os Portões de Roma do Conn Iggulden, mas isso significaria ter que levar os outros 3, e isso ia pesar muito.

Entrei com a Carol na palestra do André Vianco, mas meu objetivo lá era apenas que ele autografasse meu Os Sete, já que nas outras sessões de autógrafo dele que eu fui ainda não tinha comprado… Aí nós saímos de lá pra ver mais estandes, e o sebo que tinha lá.

Quando ia começar a palestra do Conn Iggulden, a Carol foi embora, já que não queria me ver surtando, hahaha. Na fila, conheci a Bárbara, que ia autografar o livro pro namorado, e curte Jane Austen. Ficamos papeando e conhecemos duas meninas muito entusiasmadas, que odiavam Crepúsculo e são hiper fãs de Vampire Academy (e mandaram eu entrar no Vampire Academy Brasil, o que eu já fiz). O André Vianco saiu da sala e eu o chamei pra pedir um autógrafo e ele lembrou de mim de quatro anos atrás. Aí abriram a porta, todo mundo foi pegar fones de ouvido pra ouvir a tradução simultânea, enquanto que eu fui direto sentar no melhor lugar possível: BEM EM FRENTE AO CONN *_*

Conn escrevendo antes da mesa redonda. Ele entrou com tanto charme segurando a taça de água! E sim, eu estava tremendo forte demais na hora e a foto ficou uma merda...

Agora o mico: eu não o reconheci D= Ele estava usando uma barba super charmosa, e como eu nunca o vi de barba, não reconheci. Epic fail pra mim! Começada a “mesa redonda”. Perguntas e respostas. Não sei de cor tudo que ele falou, mas ficam alguns pontos legais:

  • A série O Conquistador vai ter mais dois livros, enquanto que a série do Imperador vai ter mais uma.
  • O Conn era professor de inglês e, quando foi substituir outro professor conheceu a história do Júlio César e se inspirou pra escrever a série “O Imperador”.
  • Ele teve uns 30 livros rejeitados antes de Os Portões de Roma ser finalmente aceito.
  • Ele ficava super tímido quando alguém elogiava o trabalho dele
  • A profissão escritor é bem perigosa, já que eles escrevem coisas emocionantes, que fazem o coração acelerar, mas eles estão parados. Disse ele que muitos autores morreram de ataque cardíaco por isso e que é muito importante que eles se mantenham saudáveis.

Tive coragem de fazer uma pergunta pra ele, que foi “O Bernard Cornwell disse que gostaria de ter escrito a série O Imperador. Tem algum livro que o você leu que você gostaria de ter escrito?”. E ele respondeu que vários. Disse o nome de muitos outros autores que eu não vou lembrar agora, mas que eu vou com certeza descobrir e procurar ler. Eu tava tão emocionada que ele tava ME respondendo que meio que apaguei por uns segundos e perdi parte da resposta, acreditam?!

Conn e um cara que parecia muito infeliz de estar lá

Eu sei que o povo do Bernard Cornwell Brasil estava lá, embora não descobri quem era(m), e vi no twitter deles que eles vão disponibilizar a coisa toda. Assim que sair, linko aqui!

Conn brincando com a caixinha do tradutor simultâneo. Ele parecia uma criança mexendo nisso, era muito fofo assistir!

Depois disso, foi a sessão de autógrafos e eu sai correndo adoidada porque eu queria ser uma das primeiras. CLARO que não consegui, mas fiquei conversando com um cara que tinha lido alguns livros do Bernard Cornwell e que eu achava que fosse do Bernard Cornwell Brasil, mas que era do Vórtex Cultural. Falamos de como o Conn é foda e o Bernard é o DEUS dos romances históricos; choquei a todos da fila contando como eu sofri porque quando eu terminei de ler O Andarilho ainda não tinham lançado O Herege e meu pai me deu Excalibur achando que era da mesma trilogia.

Eu e Conn. A moça da Record tremeu na hora de tirar e ficou assim, mas diz que vão colocar a versão tirada por um fotógrafo no Flickr.. ESTOU ESPERANDO!

Quando chegou minha vez de ir falar com ele, eu estava tremendo, quase chorando. Balbuciei que eu admiro demais as obras dele, que eu quero demais ler a série O Imperador e ele agradeceu à pergunta que eu fiz durante a mesa redonda e falou que Cornwell é pai pra ele (pra mim também é). Ele autografou meu “O Lobo das Planícies” e eu quase demaiei de emoção!

Conn autografando meu livro!

Quando eu saí da salinha (relutantemente), eu e o Amilton (do Vórtex Cultural) estávamos conversando quando eu vi pessoas com a camiseta do Sobre Livros. Eu cheguei neles e falei que sou fã do site e juro que eles comemoraram mais que eu xD. Achei super mágico que lembraram de mim do dia em que respondi no Twitter algumas das minhas manias ao ler. Adorei tê-los conhecido, de verdade =) Tiramos altas fotos e conversamos um bocado, e chegou uma moça que me perguntou se eu era do Sobre Livros, e disse que era do Viagem Literária – e sim, já vi seu blog! Mas não entendi seu nome, me perdoa!.

Depois disso, fui pegar uma senha com o Sherlock Holmes (rs) e fui embora, papeando com o Amilton. As mulheres atrás da gente na fila do bus ficaram meio D= do tanto que a gente falava de livros de coisas nerds no geral. Elas ficaram particularmente chocadas da gente falando da origem do meu nick “Feanari”… Peguei o bus pra Jundiaí e cheguei em casa EXAUSTA, mas MUITO feliz, com um sorriso de orelha a orelha que irritaria o Ka Bral.

Consideração final: Mantenho que a Bienal não é muito legal de ir durante a semana. Enche muito de pivete. Mas suponho que hoje deva ter enchido MAIS, já que foi o primeiro sábado. Pretendo ir semana que vem (dia 21) com umas amigas pra garimpar outros livros e verificar o movimento. Fica o convite =)

One more thing: desculpa ter colocado tanta foto no post. Dava pra ter colocado mais, mas achei que já tinha muita… Clicando nelas, dá pra ver maior e durante a semana (e quando a Record colocar as fotos no Flickr) eu faço outros posts com links pra ver todas =)

Matei aula pra ir conhecer o Conn Iggulden e descobri que a professora não foi à aula. Nem de longe esta sexta-feira 13 me deu azar. =D

Saldo final do primeiro dia da Bienal:

  • 5 novos livros
  • 2 livros autografados
  • Conheci +2 amigos (Bárbara e Amilton)
  • Conheci quatro blogueiros famosos (3 do Sobre Livros e 1 do Viagem Literária)
  • 1 perna dolorida ao ponto de ter que passar Cataflam pra dormir
  • + hérnia de disco por carregar 7 livros nas costas por horas
  • – muito dinheiro D=
  • + uma lembrança que não sai da mente tão cedo.

Com certeza eu esqueci de falar alguma coisa que aconteceu. Ontem foi um dia muito foda. Coisas demais aconteceram e eu fiquei emocionada demais. Enquanto o Conn falava eu pensava “preciso demais lembrar desse dia”, com medo, pavor de esquecer. Mas com certeza foi melhor do que eu sonhava, e vai ficar na mente FOREVER.

Anúncios

30 Comentários

Arquivado em Lendo aleatoriamente

30 Respostas para “Bienal do Livro – Parte I

  1. INVEJA SUPREMA!

    Queria muito poder ir na Bienal. Depois de começar a ler mais e, principalmente, de discutir literatura, tu fica com muito mais vontade de participar do maior número de eventos assim possíveis! Aproveite bem os próximos dias de Bienal!!!

    Curtir

    • Feanari

      Nossa, Izze, eu te vejo pirando lá muito fácil! Você precisava demais ter ido. MISSÃO BIENAL 2012* HEEEIN!?!?!

      *Isso se a gente não conseguir ir na do Rio ano que vem uaheaueah

      Curtir

  2. Fábio

    Faltou falar que o André Vianco te reconheceu até pelo nome xD

    Curtir

  3. Menina, ler isso tudo não foi fácil, mas a cada linha parecia que eu tava vendo vc eufórica com um imenso sorriso (de irritar o Ka Bral) no rosto!
    Que situações gostosas! Acho que embora mta coisa no no seu saldo esteja pesando pro lado triste, teu dia será realmente sempre memorável! Fiquei feliz só de ler, imagine vc lá!

    Só tem um porém! Quero um marca página de presente!

    ^.~

    Curtir

    • Feanari

      Tentei escrever pouco, juro… Ou foi difícil de ler por invejinha? hahaha
      As coisas negativas eu já esqueci, Ly. Estou só com boas lembranças agora =D

      Ah, só peguei um de cada (sou humilde!). Mas como vou semana que vem, pretendo pegar muitos mais =)

      bjo

      Curtir

  4. nubiaesther

    Adorei a descrição do seu dia na bienal! =D
    Eu surtaria lá com certeza, já surto na livraria, cercada de livros para tudo quanto é lado então nem se fala. É uma pena que esse ano por conta das benditas disciplinas eu não possa ir, mas estou acompanhando tudo pelo twitter! E 2012 (se o mundo não acabar… hauhauhau) vou com certeza! Mas para garantir é melhor tentar ir na do Rio ano que vem né. ^^

    Ah, e a moça do blog Viagem Literária é a Fernanda (ou só Nanda mesmo). =)

    Curtir

    • Feanari

      Eu surtei. Fiquei tão emocionada quando entrei e tal, me senti uma letra dentro de um livro xD
      Fechou então! Leitoras na Bienal 2012 ou na do Rio 2011. FAÇAMOS OS PLANOS CERTINHO HEIN!!!!!
      Nossa, eu nunca ia conseguir ouvir o nome dela, tava muito barulhento lá, e ela falou tão baixinho xD

      Curtir

  5. Laurelin

    Nossa que dia emocionante!!
    É tão bom ver quem a gente gosta se divertindo tanto assim, asinda mais quando merece ^^

    Parabéns pelos saldos positivos desse dia e que venham muitos outros, maninha!

    =***

    Curtir

    • Feanari

      Foi demais, maninha! Sério. Não tem nem como querer pensar em descrever. Simplesmente tudo de bom! *____*
      Bjo e até 2011 na Bienal do RIO

      Curtir

  6. Mari, que emoção! Dá pra ver você lá fazendo tudo isso e deu vontade de estar lá. T__T

    E vc falou com o Conn e com o André Vianco também. *___*
    *morri*

    Nunca fui na Bienal. Preciso dar um jeito nisso logo.

    Quero ver o relato dos outros dias. ^^

    =*

    Curtir

    • Feanari

      Nossa, Jac, vc precisa MESMO ir na Bienal alguma vez! É ridículo de tão bom!!! O André Vianco nem é novidade pra mim, já encontrei com ele duas vezes antes, mas sempre é gostoso =) Já o Conn foi muito muito foda conhecer, já que as chances disso acontecer são quase nulas ne hahaha Queria *demais* ir amanhã também, ele vai de novo, mas a educação me espera xD

      =*

      Curtir

  7. Muito legal a descrição do seu dia na feira.
    Também fiquei em êxtase durante a palestra do Conn, apesar de ter sido o chato que queria fazer várias perguntas a ele…hehe.
    Bem lembrado, as conversas na fila do onibus deixaram as ”tiazinhas” achando que eramos ”meio” malucos mesmo, mas já estou acostumado com essas reações quando estamos perto das pessoas ”normais”, nem me importo…haha

    Ah…como você gosta de escrever e tem um ótimo gosto literário, se tiver a fim de colaborar com o nosso site com resenhas ou algo do tipo, let me know.
    Resenhas da série Sharpe ou mesmo outras séries do Corwnell seriam muito bem vindas.

    Sempre legal conhecer pessoas que são trully apaixonadas por literatura como vc… 😉

    Pode enviar email para mim ou para contato@vortexcultural.com.br

    cheers

    Curtir

    • Feanari

      Sim, ficou meio chato você monopolizando as perguntas, mas ninguém mais parecia ter nada a perguntar, e as suas perguntas não foram idiotas do tipo “o que você faz quando a internet cai?”… Não que tenham perguntado isso, mas imagina o desastre xD
      Eu também estou acostumada.. Mais que você, imagino, já que você se surpreendeu com o tão nerd que eu sou =PP

      Quanto a colaborar com o seu site, eu acho que a gente pode entrar num acordo. Faz algum tempo que eu não escrevo nada de Cornwell e to me coçando pra reler Sharpe (ah a lista de 50 mil livros!)… Mas se eu reler, eu com certeza vou priorizar o Blablabla. Meu filhote =P Mas tudo é nogociável =)

      // (tentativa fail de fazer o cumprimento dos dois dedos dos arqueiros)

      Curtir

  8. Nossa, uma bienal é muito emocionante, estou louca pra ir em uma, mas tem que ser nas redondezas, Recife e afins. Que mico, eu falava Fállen kkkkk
    Parabéns pelo blog!
    :*

    Curtir

    • Feanari

      É lindo demais estar naquele galpão cheio de gente que tem o mesmo interesse que você (não na mesma intensidade xD). Vc deve se programar pra ir numa! =D
      Eu tbm falava Fállen auehaueha Todo mundo falava e todo mundo foi doutrinado lá xD

      Obrigada pela visita! bjo

      Curtir

  9. Ei, ei, cadê a foto da bolsinha do Fallen? Eu quero ver, vc é a segunda pessoa que fala dela e não mostra! Mostra na próxima!

    E ó, Leitoras na Bienal do Rio em 2011 \o/ e em Sampa em 2012, que tal?

    Bjos!

    Curtir

  10. Muito bacana todo o relato do evento, Mariana.
    Agora fiquei com mais dor de cotovelo ainda, por não ter ido… rs
    Sou amigo do Amilton e participo do Vortex tambem, era pra eu estar junto lá… mas enfim, não rolou… hehehe

    Curtir

    • Feanari

      Nossa, devo dizer que você perdeu o dia MAIS LEGAL da Bienal. Amanhã eu vou novamente, e vou fazer outro relato, mas duvido que seja tão foda. Só por não ter o Conn Iggulden já não vai ser igual. O fato é: eu nunca mais vou deixar de ir numa sessão de autógrafos de um autor foda xD (tudo bem que não fui no Jostein Gaarder, mas só li O Mundo de Sofia e ia me sentir n00b lá)
      Obrigada pela visita =)

      Curtir

      • Eu adoraria ter ido na sessão de autógrafos do Gaarder. Sou consumidor ferrenho do cara… huahaha.
        O Conn estou acompanhando a série “Conquistador”, mas ainda não li o terceiro volume… de resto não conheço… por enquanto.

        Curtir

      • Feanari

        Pensei em ir só pra ter um livro dele autografado, nem sou tão fã mesmo. Quero ler O dia do coringa, mas não tive a chance ainda.
        Quanto ao Conn, ele é fantástico. Muito parecido com o Bernard Cornwell, meu autor favorito do universo *_*. O terceiro livro do Conquistador é foda, mas acho que eu prefiro o segundo xD Tsubodai ❤

        Curtir

  11. Eu queria ir amanha também…mas nao sei se vai dar tempo. Se anima para ir Flavio? Bora? 😛

    Curtir

  12. Pingback: Bienal do Livro – Parte II « Blablabla Aleatório

  13. Pingback: Bienal do Livro Paraná – Curitiba « Blablabla Aleatório

  14. Pingback: Compulsividade – Parte 2.0 « Blablabla Aleatório

  15. Pingback: Bienal do Livro – O fim da trilogia « Blablabla Aleatório

  16. Pingback: As Aventuras de Alice no País das Maravilhas & Através do Espelho e o que Alice encontrou por lá – Lewis Caroll « Blablabla Aleatório

  17. Pingback: Um Autor de Quinta #7 | Blablabla Aleatório

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s