K-dorama: Athena: Goddess of War

Inspirada pelo sucesso estrondoso de IRIS (se ainda não assistiu a esse drama, recomendo fortemente que o faça antes de ver Athena) a produtora Taewon Entertainment não perdeu tempo e emplacou um spin-off no mesmo molde do seu predecessor contando inclusive com alguns personagens da trama anterior. O início da trama de Athena está interligada com alguns eventos de IRIS, digo isso porque o presidente sul-coreano (que é o mesmo nos dois dramas) sabendo da falha na deserção do Dr. Kim Myung Guk relembra que apenas há 3 semanas eles falharam com o Dr. Hong Seung Kyong, para os que assistiram IRIS não será difícil relembrar que isso desencadeou todos os acontecimentos nos quais o Kim Hyun Joon (protagonista de IRIS) se viu envolvido.

Assim como o doutor Hong, o doutor Kim também se dedica às pesquisas nucleares e seu asilo na Coréia do Sul vem de encontro com os objetivos do país sul-coreano de investir em uma nova forma de energia nuclear, mas para isso terão que lutar contra os russos, os norte-coreanos e um grupo liderado por Son Hyuk que querem capturar o cientista. Para dar cabo a essa missão Kwon Yong Gwan é chamado, ele lidera um grupo de sete agentes especiais, que não eram tão especiais assim já que foram facilmente mortos pela equipe do Son Hyuk, Kwon foi capturado, mas não sem antes salvar o dr. Kim das garras do Son Hyuk (sem explicação para como ele fez isso a não ser que tenha enviado o doutor para um universo paralelo) e frustrar os planos do bandido.

Toda essa bagunça descrita aí em cima não é nem metade de todos os acontecimentos do primeiro episódio de Athena, um episódio um tanto confuso, mas nada que um três anos depois não coloquem nos eixos…

  • Título: 아테나: 전쟁의 여신 / Athena: Jeonjaeng-ui Yeoshin
  • Também conhecido como: Athena: Goddess of War
  • Gênero: ação, thriller, romance
  • Episódios: 20
  • Período em que foi ao ar: 13/Dezembro/2010 à 21/Fevereiro/2011
  • Rede de televisão: SBS
  • Produtor: Kim Young Sup
  • Diretores: Kim Myung Joon, Kim Tae Hoon e Hwang Jung Hyun
  • Roteiristas: Kim Hyun Joon e yoo Nam Kyung

Três anos depois encontramos aqueles que eram para ser os principais personagens da trama, serem o par romântico por trás do qual todos os desdobramentos da trama iriam ocorrer e que cativariam o público, fazendo com que o mesmo torcesse pelo amor do mocinho com a vilã (que não seria tão vilã assim). Bem, sinto lhes dizer que o mocinho não convence e que é uma hercúlea tarefa torcer para a redenção de uma vilã que parece querer tudo menos se arrepender por suas ações. Quiseram fazer dela uma mistura de Seung Hee e Seon Hwa (personagens de IRIS), que de forma alguma funcionou e é difícil sentir empatia pela personagem. Então, peço licença a vocês para falar um pouco mais sobre os outros personagens que de uma forma ou de outra acabaram roubando a cena e proporcionando ótimas atuações (depois volto a falar da relação sem sal nem açúcar aí de cima).

Três anos depois Kwon Yong Gwan (interpretado por Yoo Dong Geun) também está de volta, agora encarregado do cargo de diretor da NTS (Agência Nacional Anti-Terrorismo). Para variar é sempre bom ter um chefe de uma agência do governo que não seja corrupto, Kwon é o bonzinho, mas lidera sua equipe com pulso forte e tem um sentido apurado para antever ações inimigas e tentar suplantá-las. Sua disputa com Son Hyuk, iniciada há três anos garante boas cenas e bons diálogos entre ele e o vilão.

Han Jae Hee (interpretada pela Lee Ji Ah), ex-namorada do Jung Woo (o protagonista) e agente da NTS, é uma personagem forte e que prometia ser o contraponto para o relacionamento de Jung Woo e Hye In (a protagonista), mas que não foi bem aproveitada. E mesmo assim, pasmem, desperta mais empatia que a personagem principal. Ela vai ser aquela que tinha tudo para ser a vira-casaca, a mocinha que se transformaria em vilã, mas, persistiu convicta até o fim ainda que trocando os pés pelas mãos em muitas ocasiões. O maior erro dela foi manter-se apaixonada pelo Jung Woo até o fim, tá, burrice na verdade.

Kim Joon Ho (interpretado pelo Choi Si Won) foi aquele personagem que entrou quieto e você achou que sairia calado, mas que se provou digno de um estardalhaço. A partir do momento em que o moço correndo o risco de se dar mal, sai a campo para recuperar uma importante peça da pesquisa nuclear, ele mostra que não fica atrás do agente principal e muito pelo contrário até o suplanta em inúmeras cenas. Ele rouba a cena do Jung Woo não somente nas ações da NTS, mas também no quesito drama (suas cenas com a Jae Hee são emocionantes).

Mas, todo drama de ação e conspiração que se preze tem um vilão e no caso de Athena o Vilão é com V maiúsculo! Son Hyuk (interpretado pelo Cha Seung Won) soube ter a hipocrisia necessária para ser um vilão que transita em todos os círculos governamentais. Há três anos ele perdeu o dr. Kim para Kwon Yong Gwan , mas agora está de volta à Coréia como diretor do Departamento Asiático de Inteligência dos EUA (o DIS) e com interesse em colocar as mãos no pesquisador. Seu trabalho no DIS nada mais é do que fachada para suas ações no grupo Athena, uma organização que controla o mercado mundial de recursos energéticos à base de muito terrorismo. A nova tecnologia nuclear que está sendo desenvolvida pelo dr. Kim na Coréia coloca os interesses do grupo em xeque e é claro que eles vão tentar impedir. E acreditem em mim, pode até não valer a pena ver o drama por causa do herói, mas o vilão feito pelo Seung Won faz valer a pena, ele é irônico, tem sangue frio, mas também soube ser dramático na medida certa. Tem uma relação antiga com a Hye In, que até hoje trabalha para ele, infiltrada em agências sul-coreanas.

E eis que finalmente voltamos ao casal sem sal nem açúcar…

Yoon Hye In (interpretada pela Soo Ae) é daquelas personagens que como vilã seria impagável, mas tentaram transformar a vilania em doçura estragando uma excelente personagem (me perdoem o que torceram e acreditaram na reabilitação da moça, mas sinceramente prefiro uma boa vilã a uma mocinha meia boca). Desde o principio ela nos brinda com ótimas cenas de sangue frio, seja ajudando o Son Hyuk a desbaratar a equipe do Kwon, invadindo o banco de dados da NTS ou mesmo se sujeitando à choques elétricos para conseguir atingir seu intento. Só posso lamentar o destino que reservaram à personagem.

E finalmente temos o protagonista mais sem graça da história, Lee Jung Woo (interpretado pelo Jung Woo Sung) me fez morrer de saudades do Kim Hyun Joon. O personagem até prometia mais, a cena dele no interrogatório falando para o preso que se ele conseguisse bater nele (algemado) poderia ir embora e dando um olé no coitado é ótima. Pensei que ele seguiria nesse estilo e nos proporcionaria boas cenas. Mas, foi só ele se encantar pela Hye In para perder toda graça, simplesmente porque virou um bobão, fácil de se enganar e que mesmo com a verdade brilhando em neon na sua cara teimava em não acreditar. Suas melhores cenas, não eram as que ele estava junto com a Hye In, mas sim com o capitão Sung Chul e o Kim Ki Soo, nessas horas ele chegava mesmo a lembrar aquele agente lá do início da trama.

Outros personagens que também souberam deixar sua marca e tiveram boas atuações merecem ser citados, como o capitão Park Sung Chul (interpretado por Lee Han Wie) um trapalhão que não sei como conseguiu se tornar capitão da NTS e que rendeu ótimas cenas com o Kim Ki Soo (interpretado por Kim Min Jong) que só queria continuar tocando seu negócio ilegal de jogatina de Mahjong, mas que se viu em meio à missões da NTS, trabalhando como espião para a Coréia do Norte e tendo papel decisivo em muitas situações. E também o Andy (interpretado pelo Sean Richard), o subordinado mais leal que alguém poderia querer e mesmo seu chefe sendo o vilão é impossível não sentir admiração por alguém que não desiste de seu superior mesmo quando este está no fundo do poço.

Conversando com IRIS:

Como falei no início deste post, alguns personagens de IRIS marcam presença em Athena, além do presidente e alguns outros personagens que aparecem rapidamente (e que não vou comentar sobre os seus destinos para não entregar muitos spoilers da trama predecessora) temos a presença de Park Chul Young (interpretado pelo Kim Seung Woo) e também da Kim Sun Hwa (interpretada pela Kim So Yeon). No que diz respeito ao Chul Young, seu papel é condizente com o desempenhado na trama anterior, mas, por favor, o que estava se passando na cabeça dos roteiristas quando resolveram trazer a Sun Hwa de volta e detonar com a vida dela. Será que isso é algum plano escuso para lançar um drama Kill Coréia com a moça desempenhando o papel de vingadora? Desnecessário.

No mais Athena é um bom drama, daqueles que vale a pena assistir pelo enredo e pelas ótimas atuações de alguns atores. O drama começa à toque de caixa, perde um pouco o ritmo nos capítulos seqüenciais, mas ganha ritmo novamente com episódios de bastante tensão e reviravoltas. Confesso que na metade da história não estava satisfeita com os rumos que estavam dando para os personagens principais, mas gostei da direção que escolheram, só acho que deviam tê-la seguido até o fim. O último episódio literalmente foi banhado em sangue e é daqueles que prometiam um toque shakesperiano às avessas, mas a tragédia não é tão completa assim. O que poderia ter se encerrado em um poema trágico, adquire ares de pieguice desnecessária. Poderia ter acabado em Shakespeare, acabou em novela das nove.

Pontos fortes:

  1. As cenas de lutas.
  2. A utilização de efeitos que garantiram o ar de espionagem das missões dos agentes: diversos enquadramentos na mesma imagem, efeitos que imitavam as câmeras, binóculos e outros aparelhos usados pelos agentes.
  3. Usaram e abusaram de figurinhas carimbadas, como a BoA que estava ótima interpretando ela mesma e o lutador Yoshihiro Akiyama que fez um agente black persistente. Só os meninos do SHINee é que poderiam nem ter aparecido que não fariam falta (antes que me apedrejem, não porque eu não goste deles, mas porque concordar e rir para as câmeras não é lá uma participação especial, né).
  4. As belas locações no Japão, Itália, Havaí e Nova Zelândia.
  5. Uma característica desses doramas de ação é apresentar muitos desdobramentos, personagens e situações que podem deixar o espectador confuso. Para evitar a confusão, os produtores lançam mão de um artifício muito bom (também utilizado em IRIS): a cada início de episódio um resumo dos principais eventos da história é mostrado.

Pontos fracos:

  1. Sério, ainda gostaria de entender como o Kwon conseguiu esconder o doutor Kim após (ou antes) a quase colisão dos carros. Por mais que o cientista dominasse o campo nuclear, duvido que ele fosse um expert em teletransporte quântico.
  2. Não me canso de repetir, o casal Jung Woo e Hye In. A única coisa boa dos dois foi a música tema.

Para conferir: http://www.asianteam.org/st/ (necessário cadastro) ou  http://www.animesxgames.com/index.php?page=ver2&ver=Athena:%20Goddess%20of%20War&pag=1&sec=Dramas

Fonte: http://wiki.d-addicts.com/Athena:_Goddess_of_War

Resenha publicada originalmente no portal do site Asian Team, com o qual passarei a colaborar mensalmente com resenhas de doramas.

Anúncios

8 Comentários

Arquivado em Dorama aleatório

8 Respostas para “K-dorama: Athena: Goddess of War

  1. Poxa Núbia, para eu ver esse dorama preciso ver Íris né? aff, eu preciso terminar esses doramas que estou vendo, daí terminar City hunter e partir para esses. É que minha lista só aumenta ( buáaaa). E vc com suas ótimas resenhas só me desespera mais. ( Feia)

    Estou com saudades de vcs viu? No twitter, no blog, no email. AIAIAIA Vem para Brasília?

    Curtir

  2. Pingback: Este mês (Setembro de 2011) | Blablabla Aleatório

  3. Pingback: K-dorama: Best Love | Blablabla Aleatório

  4. Pingback: Athena: Goddess of War | TUDO ASFIXIA

  5. Marcela

    aff… q final horrível! AMEI o seu post e realmente concordo: o vilão foi o melhor, a mocinha (Han Jae Hee) merecia bem mais do q teve e o casal sem açúcar e sem sal… aff… sem comentários. os outros tb arrasaram. acho q a série poderia ter sido melhor se realmente n tivessem feito a besteira de transformar a vilã em mocinha, mas no geral… AMEI a série e definitivamente viciei em doramas… eheheh ^^

    Curtir

    • Nubia Esther

      Oi Marcela, fico feliz que tenha viciado nos doramas, é sempre bom encontrar mais doramaníacas com quem partilhar o vício e descobrir dramas novos para assistir. =)

      Realmente Athena deixou muito a desejar, gostei do drama e se retirarmos o mocinho e a “vilão” a história em si é boa. Só não me decepcionei mais com o drama porque foi por meio dele que descobri o Cha Seung Won, esse ator maravilhoso! ^^

      Obrigada pela visita. =*

      Curtir

  6. Mároio

    Gostaria de saber o que aconteceu com o ator Jung Woo Sung, que faz o protagonista, durante as gravações para que fosse substituido em vários episódios por outro ator (um que interpretou em IRIS).

    Curtir

    • Nubia Esther

      Olá Mároio, eu realmente não sei nada sobre essa informação. Nem sabia que ele tinha sido substituído durante as filmagens! Talvez, por odiar tanto o personagem acabei prestando pouca atenção nele. xD

      Obrigada pela visita!

      Curtir

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s