Alyson Noël no Brasil – Eu fui!

Após a sessão de autógrafos na Bienal do Livro no Rio de Janeiro, a autora Alyson Noël parou em outras cidades do nosso querido (e enorme) país. A penúltima delas foi no sábado passado, dia 10, na Fnac do Shopping Dom Pedro, em Campinas.

Como Jundiaí fica a pouco mais de meia hora de lá (e o shopping tem uma ETNA), não foi muito difícil convencer meus pais a irem comigo (preguizzz de ir sozinha). Eu tinha visto na internet que começava às 16h, e dez minutos antes, lá estava eu.

E mais uma galera.

Descobri que as senhas já estavam sendo distribuídas e fui pegar a minha. 217. Ia ser uma longa tarde…

O pessoal da Intrínseca ligou um telão bonito, para chamar a atenção da galera que estava na livraria à sessão de autógrafos, mas eu acho que foi um pouco fail… A maior parte das pessoas que foram lá, assim como eu, já conheciam a autora e levaram livros que já tinham comprado para serem autografados, embora com certeza alguns exemplares foram comprados lá…

Achei meio tosco fazerem a mulher pipocar tanto pelo Brasil, mas acho que ela nem parou para ver no Google Maps o tanto que ela viajou xD

Nossa, quando a Alyson chegou, cortando caminho pelo Fran’s Café que tem dentro da livraria (ACHA que ela ia conseguir passar no meio da fanzaiada? – JAMAIS!) foi  uma gritaiada que não acabava, mas acho que já dá para imaginar né?

Ela ficou super emocionada com o tanto de gente que lotou o espacinho minúsculo dentro da livraria. A clientela normal da loja estava com cara de “WTF essa galera espremida aqui nesse canto??” e mal se passava pelos corredores ao redor do evento, mas enfim… Olha que fofa ela emocionada:

Quando as emoções pararam um pouco, começou um pequeno bate papo com a autora. O povo até que fez umas perguntas legais, tirando a moça meio que do meu lado que repetiu perguntas já feitas. Mas a Alyson foi SUPER simpática e respondeu tudo. Dava dó da tradutora, porque a maior parte da galera que estava lá entendia as respostas sem precisar dela, então ela ficou meio à toa lá (sem contar que a própria Alyson percebeu que o povo entendia ela, e ia falando forever até a tradutora fazer um sinal pra ela parar xD)…

As perguntas mais legais, e cujas respostas mais me surpreenderam, foram as dos autores que ela mais gostava. Ela citou J. D. Salinger, o autor de O apanhador do campo de centeio. Considerando o público alvo dela, imaginei que ela talvez não lesse livros mais pesados, e que mesmo que lesse, não fosse um dos favoritos dela. A outra pergunta que me surpreendeu (e emocionou um pouco) foi de onde ela tirou a inspiração para escrever… Não sabia (e nunca joguei no Google pra aprender) que ela perdeu três pessoas queridas em 5 meses, e quase perdeu o marido pouco depois, e que foi isso que a levou a pensar na temática da obra. Coisa bonita mesmo.

Perguntaram se os livros vão virar filme, e ela disse que os direitos para fazer o script foram comprados pela Summit Entertainment (famosa por estragar trazer a série Crepúsculo para os cinemas). Aí perguntaram se ela tinha visto algum ator e pensado “esse cara é o …”, e ela disse que consegue imaginar tão bem as personagens dela que não consegue escolher um autor – mas que ela ADORARIA estar presente quando escolhessem os atores para interpretar os gostosões da série.

A parte mais fofa da entrevista foi quando ela disse que o Damon (o típico cara perfeito que tem que existir nesses livros) tinha algumas das características do marido dela. E aí ela ficou apontando pra ele com uma cara de “AMO AMO AMO”. Lindo demais, gente!

Depois de mais algumas perguntas, fecharam a sessão bate papo e começou a parte de autógrafos. Agora imaginem a zona: tinham distribuído senhas pra galera. E quando a Alyson começou a autografar os livros, a organização SIMPLESMENTE abandonou as senhas. Aí um povo (basicamente as mães das adolescentes xD) xingou muito no Twitter e alguma alma que vai pro céu começou a organizar a fila. Eu só ouvia a mulher chamando a galera no microfone. Como a minha senha era 217, eu fui dar uma volta. Quando chegou no 170, eu descobri onde era teoricamente o meu lugar na fila e peguei um livro aleatório para ler (O Clube das Chocólatras).

Conversei com algumas pessoas lá, dei conselho de carreira, li e a fila foi andando aos poucos. Aí chegou finalmente a minha vez e eu me emocionei. Sério, gente, eu tive que me segurar para não chorar… Entreguei meu livro pra Alyson, abracei-a e ela ficou chocada que meu livro era em inglês, hahaha. Ela foi super amor comigo. Quando eu falei que o livro dela me ajudou a lidar com o falecimento da minha vó (que aconteceu pouco depois de eu ler o primeiro livro da série), ela disse que eu ia ser mais uma a fazê-la chorar. Meu, fofa fofa fofa *__* (eu chorei, ok?).






E aí fui encontrar meus pais, comemos e voltei para casa, feliz e contente! YAY =)
Ah, não podia esquecer! A foto do autógrafo!!

No verso desse adesivo que nos entregaram, está o meu nome, para a autora escrever direitinho. 😀

Fica aqui o agradecimento ao cara que tinha o celular igual ao meu e cuja namorada/amiga tirou as fotos em que eu estou com a Alyson =D

2 Comentários

Arquivado em Lendo aleatoriamente

2 Respostas para “Alyson Noël no Brasil – Eu fui!

  1. Pingback: Este mês (Setembro de 2011) | Blablabla Aleatório

  2. Pingback: Um Autor de Quinta #54 | Blablabla Aleatório

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s