Um Autor de Quinta #14

Coluna inspirada no Uma Estante de Quinta  da Mi Muller do Bibliophile. Pretendo toda quinta-feira trazer informações, curiosidades e algumas dicas (nada muito elaborado porque não sou especialista) de leituras e afins sobre algum(a) autor(a).

Sidney Sheldon

“Tento escrever meus livros para que o leitor não pare de lê-los. Eu tento construí-los de tal forma que quando o leitor chega ao final de um capítulo, ele ou ela tem que ler mais um. É uma técnica velha de seriados de tardes de sábado: deixar o cara pendurado na beira do precipício no final do capítulo”.

Quem já leu algum livro do Sidney Sheldon sabe bem que o autor seguiu isso a risca, os eventos trágicos, os ápices das tramoias, assassinatos e revelações sempre ocorrem no final de cada capítulo…

Sidney Sheldon nasceu em Illinois, Chicago em 11 de fevereiro de 1917. Ele começou a escrever ainda muito jovem e com apenas 10 anos vendeu o seu primeiro poema por 10 dólares. Aos 17, ele decidiu tentar a sorte em Hollywood, conseguiu um emprego de leitor de roteiros de filmes na Universal Pictures, dos quais fazia resumos para facilitar a vida dos produtores de cinema quando fossem selecionar um. À noite ele escrevia seus próprios roteiros e em 1941 vendeu seu primeiro roteiro em parceria com o amigo Ben Roberts, “South of Panama”, por 250 dólares. Durante sua vida, Sheldon publicou 18 romances e todos eles alcançaram a lista de mais vendidos do The New York Times. Sheldon morreu em 30 de janeiro de 2007, por complicações de uma pneumonia.

Cinema, Teatro e Televisão

  • Escreveu seis peças para a Broadway entre elas: The Merry Widow, Jackpot, Dream with Music e Redhead pelo qual ganhou o Prêmio Tony de Melhor Musical de 1959.
  • Em 1960 começou a escrever roteiros televisivos, sua estreia foi na série The Patty Duke Show.
  • Sheldon escreveu ao todo 250 roteiros para tv. Jeannie é um Gênio, Nancy e Casal 20 foram séries de muito sucesso criadas por ele. A primeira lhe rendeu um Emmy.
  • Sheldon escreveu 25 roteiros de filmes. Seu primeiro roteiro após o retorno à Hollywood (depois dos bicos) foi O Solteirão Cobiçado (1947) estrelado por Cary Grant e Shirley Temple que lhe rendeu o Oscar de melhor roteiro original. Em 1982, depois de ser responsável pela maioria dos projetos em produção pela MGM tornou-se produtor.
  • Em 1953, dirigiu seu primeiro filme: Dream Wife, estrelado por Cary Grant e Deborah Kerr. Porém com as crítica negativa o estúdio optou por não divulga-lo o que fez com que Sheldon pedisse demissão da MGM e ficou um bom tempo longe da indústria cinematográfica, até ser contratado pela Paramount para encabeçar You’re Never Too Young que teve boas críticas e bilheteria.
  • Vários de seus romances tornaram-se minisséries de televisão, muitas vezes com Sheldon atuando como produtor.

Livros

Durante o ultimo ano da série Jeannie é um gênio, Sheldon decidiu escrever seu primeiro romance. O resultado foi A Outra Face publicado em 1970. Esse livro foi desprezado pelos revisores, mas atingiu a marca de 21 mil cópias vendidas em hardcover e supostamente 3,1 milhões de cópias em brochura.

Após esse primeiro sucesso, o nome de Sheldon estaria continuamente nas listas de best-sellers, muitas vezes reinando no topo durante meses. Seu segundo livro foi O Outro Lado da Meia-Noite que permaneceu 53 semanas no primeiro lugar da lista de mais vendidos do The New York Times. A partir daí, Sheldon passou a se dedicar apenas aos livros, lançando diversos outros títulos bem sucedidos como Nada Dura Para Sempre, Um Capricho dos Deuses e O Reverso da Medalha.

Compre aqui:

Cultura Submarino Saraiva

Curiosidades:

  • O autor figura o Guinness como sendo o escritor mais traduzido do mundo, seus livros foram traduzidos para 51 idiomas e distribuídos em cerca de 180 países.
  • Para escrever seu romance Um Capricho dos Deuses, Sheldon entrevistou o ex-chefe da CIA Richard Helms, viajou à Argentina e à Romênia e passou uma semana na cidade de Junction no Kansas. Tudo para escrever com mais propriedade sobre as situações vividas por sua heroína. No geral, Sheldon sempre procurava conhecer os locais onde suas histórias ocorriam.

Links interessantes:

Site oficial: http://www.hachettebookgroup.com/features/sidneysheldon/index.html

Página do autor no site da Editora Record: http://www.record.com.br/autor_sobre.asp?id_autor=1335

Fontes:

http://www.imdb.com/name/nm0791084/bio

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sidney_Sheldon

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Um Autor de Quinta

2 Respostas para “Um Autor de Quinta #14

  1. Esqueci de comentar no post (/besta). Eu adoro o Sidney. Tem um livro dele que é MUST: Se Houver Amanhã. É demais! 😀

    Curtir

    • Nubia Esther

      E eu esqueci de responder… daar!

      Assim como a Agatha Christhie o Sidney é outro autor que comecei a ler por influência da minha mãe. Lembro de ver ela ‘sempre’ com um livro dele nas mãos e via como ela devorava as histórias, fiquei curiosa e já li vários livros dele desde então. Gosto muito de O reverso da medalha, O outro lado da meia noite, Lembranças da Meia Noite e Nada dura para sempre. Se houver amanhã também é muito bom!

      Curtir

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s