A Filha do Louco – Megan Shepherd

Juliet Moreau vive a vida de uma arrumadeira em Londres. Seus dias (e boa parte das noites) se resumem a limpar as salas usadas pelos professores e alunos de medicina do King’s College. Ela nem sempre viveu assim. Quando era mais nova, seu pai, Henry Moreau, era um cirurgião famoso e prestigiado. Até que um dia, o estimado doutor levou seus experimentos longe demais, e seus colegas o expulsaram da cidade, denunciando-o como a um criminoso. Juliet e sua mãe dependentes da caridade da família, e da bondade de estranhos.

“Após o escândalo vir a público e meu pai desaparecer, eu e minha mãe passamos a ser ignoradas pelas companhias que chamávamos de amigos. Até mesmo a igreja fechou suas portas para nós. O governo confiscou nossa casa e o patrimônio da família, alegando que meu pai era um criminoso. Passamos vários meses sem nenhum dinheiro, confiando apenas nas orações da minha mãe e no senso de dever de alguns familiares que resmungavam com a nossa presença.”

Foi depois que sua mãe morreu que Juliet começou a vida de arrumadeira graças à ajuda de um dos ex-colegas de seu pai. Até que um dia, quando acompanhava um grupo de estudantes pelos corredores do colégio, ela entrou em uma sala em que praticavam a ciência proibida de seu pai. Um pergaminho que ela vira quando criança, assinado pelo homem que ela acreditava estar morto, a levou direto para a estalagem em que Montgomery, seu amigo de infância, e Balthazar, seu companheiro, estavam hospedados. Ansiosa por mudar de vida, Juliet o convence a leva-la com ele para onde o pai fugira.

No caminho para a ilha, Juliet e Montgomery salvam Edward, um náufrago, e ele se junta ao trio. Os dois homens deixam claro que nutrem sentimentos pela moça, que se sente atraída pelos dois, mas por motivos diferentes. Quando chegam à ilha, Juliet reencontra o pai, que inicialmente se mostra contente ao ver a filha. Conforme vai conhecendo melhor os habitantes da ilha na qual o pai é tratado como rei, Juliet se vê em uma posição para descobrir se o escândalo que envolveu seu pai era ou não justificado.

A Filha do Louco é um daqueles livros que você acha que vai para um lugar, e ele vai para outro completamente diferente. Durante toda a leitura, ele me deixou roendo as unhas (figurativamente). O triângulo amoroso de Juliet, Edward e Montgomery me deixava agoniada porque ela era simplesmente incapaz de escolher entre um dos dois (embora eu tivesse certeza de que ela gostava era do M.). O final é surpreendente e foge completamente do final feliz que eu esperava. Ao terminar de ler o livro, é que entendi a frase que está na capa do livro: “Nos lugares mais obscuros, até mesmo o amor pode ser mortal”.

O fator mais importante na narração deste livro é a Juliet. A personagem tem 16 anos, e os acontecimentos são narrados a partir do seu ponto de vista. Em diversos momentos, ela tenta racionalizar o que ela enxerga (pense na Névoa do Percy Jackson que faz os humanos não perceberem o que está acontecendo ao redor deles), o que torna difícil – mas não impossível – para o leitor tentar antecipar a narração. Esse elemento narrativo permite que a autora sempre surpreenda o leitor, que pode até ficar atordoado com tantas surpresas.

A autora, Megan Shepherd, conseguiu transformar um livro que poderia ser apenas um romance bobo em uma história de ficção científica (o livro é descrito como sendo um thriller gótico), com reviravoltas de tirar o fôlego. As personagens são cativantes, a história é bem narrada e se passa rapidamente, sem enrolações que servem apenas para aumentar o número de páginas.

O livro é o primeiro da trilogia “A Filha do Louco” (The Madman’s Daughter), e a continuação ainda não publicada no Brasil, chamada “Her Dark Curiosity” saiu no começo do ano. Espero que saia logo aqui, porque o final desse livro me deixou ansiosa por mais.

Compre aqui:

Cultura Submarino Saraiva Travessa Fnac Fnac Fnac
Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Editora Novo Conceito, Editoras Parceiras, Resenhas da Feanari

6 Respostas para “A Filha do Louco – Megan Shepherd

  1. Ana Lívia

    Olá! Você sabe me informar se já há uma previsão para o lançamento do segundo livro da trilogia aqui no Brasil?

    Curtir

    • Oi Ana, tudo bem?

      Obrigada pela visita e pelo comentário.
      Não achei nenhuma informação sobre a continuação da trilogia, mas acredito que a editora vá trazê-lo sim. Se souber de algo, te aviso.

      Abraços!

      Curtir

  2. Oii
    Tudo bem ?
    Queria muito entender a frase da capa . como assim ate nos luagares mais obscuros o amor pode ser mortal .
    Explique ?
    Beijos

    Curtir

    • Oi Letícia, tudo bem?

      Vou tentar te explicar a frase sem dar muito spoiler do livro.
      Primeiro, o “lugares mais obscuros” se refere à ilha onde o pai de Juliet mora com Montgomery e uns amigos dos dois.
      Aí o amor poder ser mortal se refere ao fato de o amor do pai de Juliet e de Montgomery pelos amigos deles põe a vida deles e a dela em risco (mais de uma vez). Não faz muito sentido sem explicar toda a trama da história.. E é bem esse o intuito da frase ne? Te deixar curiosa pra entendê-la hahaha

      Obrigada pela visita =)

      Curtir

  3. Fernanda

    ola queria saber se ha outros livros de “a filha do louco” se ha qual e o nome???

    Curtir

    • Oi Fernanda,

      A série tem três livros, mas apenas o primeiro está em português. Os outros dois se chamam Her Dark Curiosity (Sua curiosidade sombria) e A Cold Legacy (Um legado gélido).

      Abraços!!

      Curtir

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s