Eve & Adam (Michael Grant & Katherine Applegate)

eve&adam

Evening Spiker sofreu um terrível acidente e ficou entre a vida e a morte. E mesmo correndo o risco de perder uma perna e recém-saída de uma cirurgia de 14 horas, sua mãe Terra Spiker a retira do hospital para levá-la para seu instituto de pesquisa, a Spiker Biopharmaceuticals. Ali, sua recuperação segue à passos largos sob as vistas de sua mãe, dos médicos do instituto e de Solo, o garoto misterioso envolvido no seu resgate do hospital. Mas, logo, manter uma adolescente de 17 anos ocupada se torna uma tarefa difícil e Terra decide envolver Eve em um projeto de genética. O Projeto 88715. A tarefa de Eve será a de criar o garoto perfeito. E ela logo começa a brincar com sua criação acreditando que ela será apenas virtual. Será?

“Sei uma coisa ou outra sobre o Projeto 88715, e é bem maior do que uma coisinha educacional que você faz depois de se drogar.

É mais do que uma sequência brilhante de DNA em um monitor gigante.

Mais do que um brinquedo que Terra tem usado para manter Eve ocupada.

E de uma coisa eu já sei: quando Tommy e os gênios, aos sussurros, falam sobre o Projeto 88715, eles o chamam por outro nome.

Chamam de “Projeto Adam”.” página 71.

É esse o ponto de partida da história que a Katherine Applegate e o Michael Grant decidiram escrever em conjunto. Uma história que mistura romance, ciência, ficção científica, conspiração e espionagem industrial, e que rendeu um livro bem interessante.

Apesar do título dar ênfase em Eve e Adam, é Solo um dos personagens mais efetivos da trama. É por ele que conhecemos a Spiker Biopharmaceuticals: sua estrutura, os empregados, as pesquisas que são realizadas ali, os segredos que poderiam colocar Terra Spiker e sua empresa na mira das agências governamentais. É ele também que “abre os olhos” de Eve para as invenções da mãe e os impactos que isso teve e tem na vida da garota e para as implicações do Projeto 88715.

E aqui voltamos a Adam… O produto desse projeto, alardeado desde o título, demora tanto para aparecer que conforme a história passava comecei a temer que poderia acabar com um livro com um final extremamente corrido nas mãos. Felizmente, Grant e Applegate conseguiram inserir as mudanças com tempo hábil para incitar um pouco de ação, caprichar nas reviravoltas e investir no romance e no humor.

A narrativa conta com capítulos sob o ponto de vista de Eve, de Solo e capítulos de ligação, sem um narrador definido. E eles conseguiram imprimir no texto marcadores textuais bem característicos a cada personagem, ao mesmo tempo que os capítulos de ligação são bem neutros e cumprem bem seu papel. Não sei como foi o processo de escrita, se eles dividiram as vozes entre si, ou escreveram ambas conjuntamente, o que importa é que para um romance escrito à quatro mãos, a narrativa é bem uniforme e consistente ao longo de todo o livro, mostrando que a parceria deu certo. Foi meu primeiro contato com a escrita deles e fiquei bem curiosa para conferir seus trabalhos solo.

Compre aqui:

Cultura Submarino Saraiva Travessa Fnac Fnac
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Novo Conceito, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s