Zac & Mia (A. J. Betts)

zac e mia

“Nunca fui boa com números, nunca precisei ser. Mas entendo esse número. Cinquenta e cinco é claramente um dos resultados possíveis quando se joga uma moeda para cima. Os números são o que são. Não dá para discutir.

Tudo mais desaparece exceto um número frio e um rapaz que está olhando para as estrelas como se as conhecesse.

(…)

Talvez os números o atormentem da mesma forma que minha perna me atormenta. Talvez nós dois estejamos vivendo como frações. ” (Página 172)

Zac tem 17 anos e já luta há um bom tempo contra a leucemia. Para ele, a rotina do hospital, a visita das enfermeiras, do psicólogo e o esmiuçar das atividades do seu sistema digestório já é algo comum e com os quais ele já aprendeu a conviver. Por achar que já inflige dor o suficiente à sua família, Zac tenta ser o paciente modelo. Aquele que não liga de assistir programas de culinária com a mãe, mesmo quando até mesmo água é difícil de engolir, e que reserva os momentos solitários da madrugada para ir à cata de estatísticas envolvendo outros pacientes como ele, porque sabe que se fizesse isso durante o dia sua mãe iria ficar muito mais preocupada. Zac já atingiu um nível de conhecimento da ala oncológica, que lhe permite fazer piada de si mesmo e da situação em que se encontra. O que só reforça seu pragmatismo e nos cativa definitivamente.

Dessa vez ele está no hospital para ganhar uma medula nova. E tirando esse “pequeno” detalhe, a estadia poderia ser bem semelhante à todas as outras antes desta. Mas, desta vez, no quarto ao lado está uma nova paciente. Mia, uma garota raivosa, irritante, bonita e com um gosto musical bastante duvidoso. A garota nova vive às discussões com a mãe e não está enfrentando o início do seu tratamento muito bem. E Zac, com batidas na parede, uma amizade no Facebook e bate-papos na madrugada, toma para si a missão de tentar ajudá-la nessa fase difícil.

Você deve estar pensando que essa é apenas mais uma história sobre câncer em meio a tantas outras. Mas, Betts conseguiu criar personagens interessantes e uma história simples, mas cativante. E o tema pode até estar batido, mas há inúmeros aspectos que podem ser abordados e Betts foi feliz no que escolheu. E sim, é um livro sobre câncer, então, há a dor do tratamento, a depressão, a negação do diagnóstico e muitas estatísticas, mas, também há a cooperação entre os pacientes, o apoio da família, os relacionamentos forjados na empatia que só quem sabe o que é a doença pode ter, e a esperança, às vezes forte, muitas vezes quase a mínguam de que a doença possa ser superada.

A história de Zac e Mia é despretensiosa. Não há um evento catártico ou uma grande tragédia. Há apenas probabilidades e estatísticas. E um garoto e uma garota vivendo como frações. E, considerando todas as estatísticas, é uma história que retrata algo comum, triste e feio, mas comum. Contudo, acompanhar as batalhas de Zac e Mia e o desenrolar do relacionamento entre ambos foi bem legal. Betts nos presenteou com diálogos expressivos, garantiu risadas em vários momentos e tristeza em tantos outros. Não há como não ser cativado com a singeleza que Betts conseguiu trabalhar o tema.

Compre aqui:

Cultura Submarino Saraiva Travessa Fnac Fnac
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Novo Conceito, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s