Fuller House

O que aconteceu com a previsibilidade? Os primeiros segundos do primeiro episódio do revival de Full House me fez achar que abri o episódio errado, mas logo ficamos sabendo que se passaram (preparem-se) 29 anos. Mas cá estamos, novamente, encarando a fachada da casa dos Tanner em São Francisco. No original, Danny (Bob Saget) se vê sozinho com três meninas para criar, e seu cunhado, Jesse (John Stamos), e melhor amigo, Joey (Dave Coulier), se mudam para a casa deles com o intuito de ajudá-lo com as meninas. O drama desta vez, é outro… Em 2016, algo semelhante aconteceu com DJ (Candace Cameron Bure), a filha mais velha de Danny, mãe de três meninos e obrigada a cuidar deles sozinha.

Quando a família ouve um desabafo emocionante de DJ, Danny, Joey, Jesse e Becky (Lori Loughlin) decidem colocar seus planos em pausa para ajudá-la. É quando Stephanie (Jodie Sweetin), a irmã do meio, e Kimmy (Andrea Barber), a melhor amiga de DJ, interrompem o gesto deles e decidem que elas é que devem ajudar DJ nessa nova fase. E assim começa Fuller House, ou “casa ainda mais cheia” – também é o sobrenome novo de DJ.

Uma das maiores polêmicas (nas redes sociais e nos tablóides) envolvendo esta série é a ausência das gêmeas Olsen, que fizeram o papel da filha mais nova, Michelle. No seriado, ela é citada diversas vezes, e em alguns momentos, até dá para sentir um desprezo pela ausência delas. Todos os demais membros do elenco original aparecem, em especial o John Stamos (Jesse), que é produtor da série. Até os filhos gêmeos dele, que eram apenas crianças fofas no original, dão o ar da graça: agora eles estão no sexto ano da faculdade.

Quanto ao novo elenco, temos os filhos da DJ: Jackson, Max e Tommy são fofos demais. Para mim, o Max é a melhor parte do seriado, sem dúvida. Temos também Ramona, filha de Kimmy, e seu quase ex-marido, Fernando. O novo potencial parceiro romântico de DJ também já deu as caras no seriado.

Na Netflix, os treze episódios da primeira temporada foram liberados sexta-feira. Eu assisti a todos em uma tarde. Como era de se esperar, a série original é bastante mencionada, e até rolam alguns flashbacks. A música de abertura é um cover da clássica. O seriado induz bastante nostalgia, em alguns momentos eu até cheguei a me incomodar por medo de que a série fosse depender apenas das referências do passado, mas por sorte, não é o caso.

Em suma, é um seriado leve, divertido e que remete ao original o suficiente para alegrar aos fãs. Eu gostaria de saber que a segunda temporada está nos planos dos produtores. Eu adorei este seriado, e quero mais.

Assista ao trailer e prepare-se para voltar no tempo.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Nerdices aleatórias, Seriados

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s