Tenshi (Luciane Rangel & Ana Claudia Coelho)

Tenshi

“Eu não pedi para vir ao Japão. Eu não pedi para viver aqui e ser diferente.

Ao mesmo tempo em que era destacada, naquele país estava tudo o que eu conhecia: meu nome, minha míngua, meus costumes, minha família…. Porém, ainda assim, eu não pertencia àquele lugar.

Eu não pertencia a lugar algum. ” (Página 20)

Matsuo Umi tem quinze anos e foi abandonada quando bebê na porta de um orfanato em Chiba no Japão. Aos cinco anos foi adotada por um casal de japoneses. Por ter cabelos loiros e ondulados, olhos azuis e ser considerada alta para o padrão japonês, Umi sofreu e sofre bullying, principalmente na escola. Suas únicas amigas são a Gallagher Natsu (uma mestiça, filha de uma japonesa e um americano) e Shimada Kaori (antissocial convicta). Umi também é apaixonada por Shimada Hinoki, irmão mais velho de Kaori e professor de biologia delas.

Só as histórias de Umi, Natsu e Kaori já garantem drama suficiente. Umi convive com a mágoa de ter sido abandonada, com a crueldade dos que a rejeitam por ser diferente e com o medo de não ser mais necessária caso os pais tenham um bebê. Natsu tem que encarar diariamente a ausência do pai e supre essa falta com tudo o que vem dos Estados Unidos. Kaori e o irmão mais velho (não tão mais velho assim) desbravam o mundo sozinhos desde que os pais morreram. Mas, além disso, a Luciane e a Ana Claudia acrescentaram um garoto misterioso nessa história.

No dia do Festival Tanabata Umi se depara com um garoto caído na rua. Um oriental de olhos verdes e que está com amnésia. Ela então decide ajudá-lo. Ao mesmo que tempo que ajudar o garoto misterioso acaba lhe ajudando a superar algumas de suas dificuldades, ele também lhe desperta sentimentos e traz mistérios envolvendo sua origem que abalarão o mundo de Umi.

Já conhecia o trabalho da Luciane e da Ana Claudia da trilogia Guardians. Uma história que focava nos relacionamentos e dramas pessoais de jovens protetores do mundo, sim, a história tinha um lado sobrenatural bem marcante. Com Tenshi o enfoque está no mundo real: os dramas familiares, o bullying, o suporte dado pelos amigos, os primeiros amores… E a força dessa história com certeza está em seus personagens. Umi é a garota que tinha tudo para ser ressentida e para não confiar nas pessoas. Mas, ela é amigável, confia e perdoa com facilidade, está sempre disposta a ajudar as amigas e tem uma linha de pensamento que preza pelo impossível e é estabanada por natureza. Natsu pode não ser nem um pouco modesta, mas é a alma da empolgação e alegria desse trio. E Kaori, bem ela pode muitas vezes entrar quieta e sair calada e parecer não se importar, mas sem alardear ela vive defendendo as amigas. A Luciane nos cativa com essas três amigas e nos prende ao livro com um texto fluído e uma história de amor e mistério bem contada. As ilustrações da Ana Claudia continuam complementando a trama, desta vez com mais espaço. Quer curte mangás shoujo ou tem interesse pela cultura oriental e gosta de romances pode vir a gostar de Tenshi.

Fanpage do Livro: https://www.facebook.com/LivroTenshi/

Compre Aqui.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Uma resposta para “Tenshi (Luciane Rangel & Ana Claudia Coelho)

  1. Pingback: Leia Mulheres: Aventura | Blablabla Aleatório

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s