Amazônia (Ricardo Abramovay)

“Grilagem de terras, invasão de áreas protegidas, construção de estradas clandestinas voltadas à extração ilegal e predatória de madeira e supressão de vegetação em desacordo com a legislação atual são práticas que vêm desde o século XIX. E é óbvio que essas práticas são incompatíveis com a vida econômica do século XXI, com a capacidade técnica da agropecuária brasileira e com a contribuição que o país pode e deve dar à luta contra as mudanças climáticas. ” (página 73)

Um artigo recentemente publicado na Scientific American (Destroyed Habitat Creates the Perfect Conditions for Coronavirus to Emerge) fala sobre como a destruição de habitats naturais criam perfeitas condições para que doenças emergentes (tais como a covid-19) alastrem na população humana. Ora, se nós derrubamos árvores e consumimos animais silvestres sem quaisquer controles, é claro que estamos a perturbar um sistema que até então estava em equilíbrio. Quando tal equilíbrio é quebrado, animais silvestres aproximam-se de comunidades humanas, muitos se sentem no direito de transformarem os mesmos em presas (culturalmente ou não), daí, para os vírus presentes nos animais silvestres “cruzarem a fronteira” e serem espalhados pelo homem, é um pulo certo para uma pandemia. Quantas mais teremos de enfrentar até que entendamos que este ritmo de exploração da natureza só nos fará acelerar o nosso próprio fim?

Em tempo de Pandemia a mensagem deixada por Ricardo Abramovay em Amazônia não poderia ser mais clara e válida. Precisamos estabelecer a economia da floresta em pé. De um país que já foi um dos maiores contribuidores no combate contra o aquecimento global, segundo o IPCC, hoje, temos um modelo fortemente atrelado ao desmatamento, uso extensivo dos recursos naturais e conflitos sociais. Um cenário que precisa ser modificado e é com isso em mente que Abramovay apresenta este ensaio: contra a tolerância excessiva ao desmatamento e a favor de uma economia de valorização da Amazônia.

O livro está dividido em cinco tópicos:

I – O Desmatamento não é premissa para o crescimento da Amazônia: o crescimento da produção agrícola não implica em desmatar novas áreas, mas reaproveitar áreas de pastagens de baixo rendimento. Há muitas dessas áreas na Amazônia. O ideal é investir em tecnologia para garantir uma utilização mais plena das mesmas.

II – São baixos os custos do desmatamento zero: as maiores perdas relacionadas ao desmatamento zero serão nas atividades predatórias, o que por si só não justifica a manutenção da política de desmatamento.

III – As áreas protegidas são um trunfo para o Brasil: em meio à tantos ataques que a legislação ambiental e os órgãos de controle vêm sofrendo sistematicamente, Abramovay mostra como essas áreas são importantes para o Brasil e para o mundo e toda a amplitude de serviços ecossistêmicos que a floresta intacta oportuniza.

IV – As áreas protegidas estão sob ataque: o fato de que a despeito de termos grandes áreas destinadas à preservação, são ínfimos os investimentos na manutenção, gestão e fiscalização dessas áreas.

V – Proteção às florestas não é idiossincrasia brasileira: os exemplos bem-sucedidos de países que reflorestaram grande áreas. A lição que fica é que é possível.

Toda essa informação é repassada de forma bastante clara por Abramovay. A obra está cheia de notas de rodapé que direcionam o leitor a textos de apoio, leis e vídeos que complementam a leitura. É com muita propriedade e vários exemplos que Abramovay mostra que nossa maior riqueza está na floresta de pé e precisamos que ela não continue vindo abaixo.

 

Leia uma amostra aqui:

Compre aqui:

Amazon

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s