O Bom Filho (You-jeong Jeong)

Consumir cultura coreana já tem sido uma constante na minha vida há algum tempo. Principalmente músicas, doramas e filmes. Logo que descobri os doramas (alguns dos quais são baseados em livros) e passei a querer conhecer a sociedade coreana mais a fundo, foi natural querer me aventurar pela literatura também. Mas, durante algum tempo foi difícil conseguir títulos traduzidos por aqui. Então, é realmente uma coisa muito boa que mais e mais obras do leste asiático tenham aportado por aqui. É por causa desse boom no mercado editorial que obras como O Bom Filho têm sido publicadas aqui, trazendo tramas interessantes e a oportunidade de imergir em outras culturas.

O Bom Filho é um thriller que traz como protagonista Yu Jin, um rapaz que toma remédios para um transtorno mental, ou melhor, tomava, pois deixou de fazer para “experimentar a realidade”. Um dia, após um ataque epiléptico que o deixou sem lembranças, ele acorda em casa e se depara com sangue, muito sangue, e o corpo de sua mãe. Ele todo ensanguentado. Ela, degolada. Yu Jin entra então num vórtice de pensamentos tentando explicar a situação e se eximir de uma provável culpa.

“Talvez eu conseguisse resolver a coisa toda. Ou poderia deixar minha história mais convincente, com alguns retoques. Eu tinha um talento nato para criar verossimilhança, embora minha mãe costumasse dar um nome diferente àquela perícia: “mentir”. ” (Página 33)

O livro está dividido em quatro grandes seções. A cada avanço segredos nos são revelados, mas outras dúvidas vão surgindo. É assim que You-jeong nos prende em sua trama, em uma leitura vertiginosa, um tanto difícil de largar.

Na primeira parte, Um Chamado na Escuridão, somos apresentados à Yu Jin e conhecemos Gun-do, uma localidade nova, terminando de ser construída e em processo de ocupação. Um ambiente um tanto quanto estéril, perfeito para uma trama cirúrgica: o assassinato de uma mãe por seu filho. Logo fica claro que o objetivo de You-jeong não é trabalhar com a dúvida sobre a inocência de Yu Jin. Ele realmente matou a mãe. Se foi um acidente, por defesa ou algum outro motivo mais escuso é o que You-jeong nos convida a desvendar. Quando comecei a leitura, achei que a autora encaminharia a obra pela dúvida sobre a inocência do protagonista, então foi com choque e um bocado de receio que tive minhas expectativas soterradas logo na primeira parte. Sobraria mistério suficiente para o resto da narrativo? You-jeong mostrou de forma consistente que sim. Ela soube manter o suspense, sem entregar em demasia, mas sem esconder demais, até o fim. Seja na segunda parte, Quem Sou Eu?, quando mergulhamos no passado familiar de Yu Jin; ou em Predador, a terceira parte, na qual o tratamento que Yu Jin é submetido desde a adolescência é colocado sob escrutínio. Culminando na última parte, A Origem das Espécies, quando todas as peças são reunidas e a conclusão para a história surpreende.

You-jeong Jeong se mostrou exímia em criar um thriller que fisga o leitor desde a primeira página. Não sei se a compararia à Stephen King como muitos tentam fazer. Ela não trabalha o horror, não no sentido sobrenatural. You-jeong especializou-se em retratar o lado sombrio da mente e as surpresas que a caixa-preta da memória pode reservar. Nesse ponto, sua obra é mais palpável que a de King, é mais próxima da realidade, e por isso mesmo mais assustadora.

You-jeong é considerada um expoente da literatura de suspense na Coreia do Sul. Ela tem quatro livros publicados, alguns já adaptados para o cinema.

Este foi o livro que escolhi para representar a Coreia do Sul no Projeto Volta ao Mundo em 198 Livros.

Leia uma amostra aqui:

 

 

Compre aqui:

Amazon Fnac

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia, Volta ao Mundo em 198 Livros

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s