Rinha de Galos (María Fernanda Ampuero)

Rinha de Galos é uma coletânea de treze contos. Treze histórias nas quais María Fernanda Ampuero traz a realidade para a ficção e escancara a violência, em suas mais variadas facetas, mas sempre ali, tendo as mulheres como principais vítimas de suas vorazes garras. “Acho que escrevo como escrevo porque estou furiosa, porque a violência contra os mais fracos, principalmente meninos, meninas e mulheres, me enche de raiva e não sei como lutar para tornar visível toda essa violência. Escrevo para gritar, acho. Escrevo gritando.” Ressignificar, amplificar e divulgar a realidade, talvez seja um dos papeis mais significativos da literatura e Ampuero o faz com maestria. Com um texto potente e envolvente que escancara o Equador, mas que também ressoa muito o cotidiano de toda a América Latina.

“Certa noite, a barriga de um galo estourou enquanto eu o carregava nos braços como se fosse uma boneca, e descobri que aqueles homens tão machos que gritavam e atiçavam para que um galo rasgasse o outro de cima a baixo tinham nojo da merda, do sangue e das vísceras do galo morto. Assim, eu passava essa mistura nas mãos, nos joelhos e no rosto, e eles paravam de me importunar com beijos e outras idiotices.” (Página 9).

Em contos com títulos como Leilão, Monstros, Crias e Luto, Ampuero discorre sobre o machismo arraigado e a violência cotidiana contra as mulheres, desde a infância. Esta, sendo maculada pela violência, que acaba se tornando algo banal. O machismo estrutural que permanece mesmo perante quem é considerado detentor de maior conhecimento. O condicionamento, quase pavloviano, de sempre garantir ao homem a certeza, a manutenção da última palavra. A violência da pobreza, que também macula a infância, quando não a interrompe. A violência de mulheres contra mulheres, legitimada pelas classes sociais. Rinha de Galos não é uma leitura fácil, as histórias trazidas por Ampuero dão nojo, provocam asco e uma tristeza profunda porque sabemos que apesar de muitas dessas tramas estarem ali no limiar do realismo fantástico, elas são mais reais do que gostaríamos que fossem. Mas, ao mesmo tempo, a escrita de Ampuero é tão envolvente que é difícil largar essas páginas, ainda que pausas possam ser necessárias para deglutir essas histórias. Eis uma autora que gostaria de ter mais obras suas publicadas por aqui.


*Rinha de Galos foi enviado pelo Clube Tortilla – “Una Facción Literaria” encabeçada pelas editoras Moinhos e Mundaréu que envia livros de literatura hispânica para seus associados.

**Este foi o livro que escolhi para representar o Equador no Projeto Volta ao Mundo em 198 Livros.


Compre aqui:
Amazon Fnac

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia, Volta ao Mundo em 198 Livros

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s