Leia Mulheres: a importância de termos mulheres produzindo quadrinhos

Participo de alguns grupos do Facebook onde o foco das discussões é a literatura. Neste mês algumas postagens sobre livros escritos por mulheres acabaram aparecendo por lá, particularmente lembro-me de uma postagem feita por um rapaz no qual ele comenta a menor quantidade de escritoras que leu em comparação aos escritores no ano passado e como pretendia tentar diminuir essa defasagem este ano. Não foi a postagem dele que me surpreendeu, mas sim o comentário de um homem que enfatizou que estava muito surpreso com o fato das pessoas quererem ler mais autoras, ou ler tanto mulheres quanto homens, para ele o importante era o conteúdo apenas e que agora tudo era motivo para se instituir cotas (não vou nem comentar sobre o quão errado foi utilizar o sistema de cotas com tom de desmerecimento para estabelecer a comparação).

Será que o conteúdo realmente é importante para ele? O conteúdo de um livro, além da narrativa e da trama também passa pela construção dos personagens. E a construção de personagens femininas fortes, que não sejam utilizadas como meras muletas para o desenvolvimento dos protagonistas masculinos; de personagens que não sejam relegadas à objetos ou sejam hipersexualizadas; que tenham voz e que realmente tenham espaço na narrativa é uma parte muito importante do conteúdo dos livros e por mais que alguns autores consigam representar bem suas personagens femininas, muito do que ali é representado acaba sendo permeado por sua visão de mundo enquanto gênero historicamente dominante. Não há dúvidas, de que algumas representações do feminino só possam ser efetivamente alcançadas pela ótica feminina e isso para mulheres, garotas e meninas, que perfazem uma boa parcela da população de leitores, é muito importante. É importante ler e perceber como os pensamentos, as formas de encarar o mundo, os desafios enfrentados e as dúvidas encontram ressonância em nossa vida. A identificação do leitor com o personagem é uma parte fundamental da leitura e ao incentivarmos que mais autoras sejam publicadas e lidas, queremos que essa identificação seja mais efetiva. Que as meninas possam ler sobre mulheres determinadas, possam se inspirar por suas trajetórias, possam encontrar alento em uma história de superação que lhes dê ânimo para enfrentar os próprios problemas, que possam ler ali nas páginas aquelas vozes que durante tanto tempo permaneceram caladas. Continuar lendo

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Leia Mulheres

Colecionando Textos #10

 

 

 

*Free Online Logo Maker. https://www.designevo.com

1 comentário

Arquivado em Colecionando Textos, Lendo aleatoriamente

Post Mortem (Patricia Cornwell)

Acho que já deu para perceber pelas minhas leituras que eu gosto de ler romances policiais e thrillers investigativos (gosto das séries de TV também). Gosto do formato procedural com casos a serem esmiuçados e resolvidos em cada livro, que muitas vezes fazem parte de uma longa série de livros estrelados por casais de detetives, inspetores de polícia, antropólogos forenses, peritos criminais e por aí vai. Na minha busca por autores do gênero, já tinha esbarrado no nome da Patricia Cornwell. Ela é muito conhecida no meio e Post Mortem, o seu primeiro romance policial, protagonizado pela médica-legista Kay Scarpetta, foi publicado em 1990. A autora que trabalhou como repórter policial e como analista de informática no Instituto Médico Legal de Richmond na Virginia (EUA) trouxe de suas experiências profissionais a inspiração para as histórias envolvendo sua protagonista.

Neste primeiro volume, a já médica-legista chefe de Richmond há dois anos, Kay Scarpetta está às voltas com as investigações de um assassino que começou a atuar há dois meses (ao menos em Richmond) e que está matando mulheres e deixando para trás um resíduo brilhante nos corpos das vítimas. Scarpetta é responsável pelas necropsias, mas acaba se envolvendo nas minúcias da investigação para desgosto de Pete Marino, o policial de carreira responsável pelo caso. E, enquanto a “dupla” segue aos tropeços e disputas, interesses políticos, passados inescrupulosos, crianças prodígio e uma pitada de narrativa de redenção; tornam a trama de Cornwell bastante envolvente. Continuar lendo

5 Comentários

Arquivado em Desafios Literários, Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

TAG – Sua Vida em Livros

Achei esta TAG assistindo aos vídeos antigos do canal da Tatiana Feltrin. Ela traduziu de um canal da gringa (infelizmente o vídeo original não está mais disponível no Youtube) e o vídeo original da Tati vocês podem ver clicando aqui. É bem antiguinha, mas tem umas perguntas interessantes e achei que seria legal respondê-las. Vamos lá. Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, TAGs

Leonardo da Vinci (Walter Isaacson)

“Embarquei neste livro porque Leonardo da Vinci é o exemplo definitivo do tema central de minhas biografias anteriores: como a habilidade de conectar disciplinas – artes e ciências, humanidades e tecnologia – é a chave para a inovação, imaginação e genialidade. (…)

Sim, ele era um gênio: apaixonadamente curioso e muitíssimo criativo em múltiplos campos do conhecimento. Mas devemos ter cuidado com essa palavra. Ao darmos a Leonardo o rótulo de gênio, estranhamente o minimizamos, dando a entender que foi tocado por uma iluminação divina. (…) Na verdade, o gênio dentro de Leonardo era humano; tinha sido forjado por vontade e ambição próprias.” (Página 21)

Esse trecho mostra bem o tom que Walter Isaacson tentou imprimir em sua reconstrução biográfica do Leonardo da Vinci. Ele não enaltece o polímata renascentista por enaltecer e não passa por cima de seus defeitos e erros, muito pelo contrário, ele nos fornece um retrato do Leonardo humano, com tendência à procrastinação, perfeccionista ao extremo, que sempre sonhou com a aceitação irrestrita de seus patronos, com uma curiosidade quase que infantil (no sentido de não se restringir em fazer perguntas “bobas”) e uma imaginação e criatividade que o fizeram atingir patamares que lhe renderam a alcunha de gênio. Isaacson fez um retrato bastante fiel do que Leonardo da Vinci foi e do que poderia ter sido (e os avanços no conhecimento que isso teria propiciado) e nos mostra como conhecer a trajetória de personalidades que marcaram a história da humanidade pode ser um verdadeiro aprendizado. Não sei se essa é (ou será) a biografia definitiva do Leonardo da Vinci, só sei que o trabalho feito por Isaacson é formidável, seu texto é de uma clareza ímpar e sua admiração por Leonardo transparece em todas as páginas. Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Desafios Literários, Editora Intrínseca, Editoras Parceiras

Mulheres na Ciência – Artes Minimalistas

A artista interdisciplinar Shumaila, o nome por trás da Hydrogene Portfolio, é conhecida por criar obras de arte baseadas em educação STEM (acrônimo em inglês usado para designar as quatro áreas do conhecimento: Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática), pôsteres minimalistas e projetos visuais.

Há uns dois anos ela postou em seu Tumblr uma série de pôsteres minimalistas homenageando algumas mulheres que contribuíram para o desenvolvimento da ciência. O post completo pode ser visto aqui. Mesmo antiga, a homenagem continua válida e nada melhor do que nos lembrar dessas mulheres que abriram caminhos para que tantas outras mulheres pudesse trilhá-los.

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Simplesmente aleatório

Colecionando Textos #9

 

 

*Free Online Logo Maker. https://www.designevo.com

1 comentário

Arquivado em Colecionando Textos, Editora Intrínseca

Todo Dia a Mesma Noite (Daniela Arbex)

“A capitã da brigada caminhou pela Kiss atordoada não só com o que viu, mas com o barulho dos celulares das vítimas. Os aparelhos tocavam juntos e cada telefone tinha um som diferente. (…) Na maioria dos casos, porém, o visor indicava a mesma legenda: “mãe”, “mamãe”, “vó”, “casa”, “pai”, “mana”. Aquela sinfonia da tragédia era tão insuportável quanto a cena que Liliane presenciava. Como lidar com um evento dessa proporção?“ (Páginas 34 e 35)

Na manhã do dia 27 de janeiro de 2013 o Brasil acordou estarrecido pela tragédia que se abateu em Santa Maria no Rio Grande do Sul. Até o dia 26 de janeiro, Santa Maria vivenciou uma calmaria sem precedentes nos atendimentos do SAMU. Na madrugada do dia 27, a tempestade. A boate Kiss, com superlotação, funcionando sem todos os alvarás obrigatórios, utilizando material expressamente proibido com a finalidade de isolamento acústico, aliado a uma ação totalmente imprudente, incendiou. Com a guarnição dos bombeiros desfalcada, dezenas de civis ajudaram no resgate, muitos morreram durante o processo. Com uma só porta de saída e entrada, dificultada pela presença de guarda-corpos, muitos jovens não conseguiram sair, centenas morreram na boate e mesmo entre os resgatados com vida, muitos acabaram morrendo depois vítimas da intoxicação da fumaça letal gerada na combustão. O incêndio na Kiss interrompeu 242 vidas repletas de sonhos e projetos. A tragédia foi amplamente esmiuçada na mídia e muitos desses detalhes se tornaram de conhecimento público. Então, qual seria a história não contada da boate Kiss? Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

Leia Mulheres: elas também escrevem ótimos romances policiais e thrillers

O dia 8 de março é dia de comemorar as conquistas, obtidas por meio de várias lutas, das mulheres. Nessa longa luta muitos espaços e direitos já foram conquistados. Na literatura não é diferente. Mas, apesar de já termos várias autoras, muitas com enorme sucesso e com obras consideradas clássicas, historicamente ainda existe uma defasagem em relação aos autores (como bem evidenciado naquele experimento da livraria de Cleveland). Foi por causa desse experimento que coloca em evidência essa grande disparidade, que resolvi criar essa coluna aqui no blog em março do ano passado e passado um ano a proposta continua válida. Há várias escritoras extraordinárias por aí esperando para serem lidas e se puder ajudar a divulgar a obra delas pelo menos para uma pessoa, já terá valido a pena. As indicações por aqui são temáticas e a de hoje serve para mostrar que as mulheres também escrevem ótimos romances policiais (não é a toa que até temos uma Rainha do Crime) e thrillers. Confira! Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em Leia Mulheres

Mrs. Dalloway (Virginia Woolf)

Apesar de já ter um Virginia Woolf na estante há tempos, sempre fiquei protelando sua leitura. Acho que no fim das contas eu era uma dos que tinham medo de Virginia Woolf. Ter colocado um livro dela nas listas do projeto Volta ao Mundo em 198 Livros e do Desafio Livrada foram os incentivos que faltavam para eu finalmente experimentar o texto de Woolf. Decidi começar por uma de suas obras mais famosas: Mrs. Dalloway. Talvez um dos melhores exemplos do uso do fluxo de consciência em um romance. Também comecei por ele porque queria começar a ler Virginia por um romance e não por seus contos.

O romance publicado em 1925 começa com Clarissa Dalloway, uma distinta senhora de 52 anos, que decide sair ela mesma para comprar as flores para a festa que ela irá dar logo mais a noite. Está estipulada aqui a linha temporal espacial da história. Todos os acontecimentos ocorrem em um dia: a partir da saída de Clarissa até a ocorrência de sua festa. No plano das ideias, entretanto, a linha temporal dilata-se ao extremo para abarcar lembranças, excursões ao passado e complexos diálogos interiores. Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Desafios Literários, Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia, Volta ao Mundo em 198 Livros