Mônica – Força (Bianca Pinheiro)

monica-forca-bianca-pinheiro-capa

A enorme força da Mônica sempre foi a sua característica mais marcante, não são raras as histórias em que ela emprega o uso de sua força, principalmente se elas envolverem os planos infalíveis do Cebolinha. Só que agora, na trama desta Graphic MSP o Sidney Gusman teve a ideia de explorar um outro lado desta força. Confrontar a Mônica, do alto de seus sete anos, com a realidade de que a força muitas vezes não é a solução para todos os problemas. Há problemas além do alcance de suas coelhadas, que expõem sua fragilidade e impotência. A Bianca Pinheiro foi a escolhida para encarar esse desafio. Ela é mais conhecida pela série Bear (publicada pela Nemo) que ainda não tive a oportunidade de conferir, mas que fiquei com muita vontade depois de ter lido sua história da Mônica.

A trama é simples que pode até ser considerada banal. Mas foi tratada com uma grande sensibilidade pela Bianca. A história foge dos padrões das histórias da Mônica, com uma trama mais intimista, de poucas palavras e muitos simbolismos (e algumas referências), na qual até mesmo as folhas de guarda participam da história. Os traços são limpos, sem muitos detalhes, porém bastante expressivos. O enquadramento é amplo, Bianca aproveita bem todos os espaços disponíveis. Tudo isso aliado a uma paleta de cores tão linda, que mesmo sendo uma trama dolorida, ainda assim explode em fofura. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

O Martelo de Thor (Rick Riordan)

Atenção, esta resenha trata sobre os acontecimentos do segundo livro da trilogia Magnus Chase e os Deuses de Asgard. Por isso, pode conter spoilers, revelando parte do conteúdo do livro anterior. Para saber o que eu achei do primeiro livro, confira os links no final desta resenha.

omartelodethor

“Desde que eu renasci, me acostumei a muitas coisas esquisitas. Viajei pelos nove mundos e conheci deuses nórdicos, elfos, anões e um bando de monstros com nomes impronunciáveis. Encontrei uma espada mágica, atualmente pendurada no meu pescoço na forma de um pingente de runa. E até tive uma conversa muito louca com minha prima Annabeth sobre os deuses gregos, que habitavam Nova York e dificultavam a vida dela. Aparentemente, os Estados Unidos estavam infestados de deuses antigos. Era uma verdadeira praga. ” (Página 14)

Acho que já posso admitir que perdi a imparcialidade para falar dos livros do Rick Riordan, pelo menos das suas obras dedicadas ao público jovem. Nem eu mesma imaginava que acabaria sendo sugada para suas narrativas e que iria gostar tanto dessa história de moradias dos desuses estarem espalhadas pelo Estado Unidos. Isso foi justamente o que me fez torcer o nariz para Percy Jackson e o Ladrão de Raios! Mas, aos poucos os personagens foram me cativando e Riordan demonstrando que essa história de dar uma repaginada nos seres mitológicos tinha muito potencial. Começamos com um Acampamento em Long Island (Nova York), fizemos uma parada ocasional em uma Casa no Brooklyn (NY), nos enveredamos por outro Acampamento nas Oakland Hills (São Francisco) e agora somos hóspedes do Hotel Valhala em Boston. E assim como Magnus, já percebemos que ter divindades mesoamericanas ou (insira sua mitologia favorita aqui) zanzando pelos Estados Unidos não seria de todo surpreendente e é algo que Riordan pode nos presentear daqui a pouco. E bem que ele podia mesmo. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

Biblioteca de Almas (Ransom Riggs)

bibliotecadealmas

“Apenas uma história. Mas nunca era apenas uma história. Isso tinha se tornado uma das verdades definidoras da minha vida, pois por mais que eu tentasse manter as histórias aplanadas, bidimensionais, presas em papel e tinta, sempre havia aquelas que se recusavam a ficar restritas ao interior dos livros. Eu sabia: uma história tinha engolido toda a minha vida. ” (Página 330)

Em Biblioteca de Almas, enquanto todos os outros acabaram capturados, apenas Emma, Jacob, Addison e Sergei escaparam dos acólitos, e, ainda que o tempo presente possa ser um forte atrativo à Jacob, eles precisam se enveredar por outra fenda, o Recanto do Demônio, uma espécie de purgatório dos peculiares e local onde fica o quartel-general dos acólitos, para onde eles estão levando todas as suas vítimas. No Recanto do Demônio os garotos terão mostras do quão decantes a vida dos peculiares podem se tornar, Jacob descobrirá mais sobre a sua origem e seus poderes, os eventos envolvendo a catástrofe que deu origem aos etéreos finalmente serão revelados, e uma lenda, uma invenção engenhosa e os verdadeiros planos de Caul virão à tona. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

Princesa das Águas (Paula Pimenta)

princesa-das-aguas

Princesa das Águas é o terceiro volume da série de releituras de contos de fadas/princesas que a Paula Pimenta está publicando pela Galera Record. E, juntamente com a história da DJ Cinderela, a história da nadadora Arielle Botrel está entre as minhas favoritas. Ouso dizer que até mesmo superou a da primeira trama publicada. Os personagens são carismáticos, o alívio cômico ao drama é garantido e, a vilã fez uma boa participação, daquelas de provocar raiva. Todos elementos mais do que bem-vindos em um “conto de fadas”. Afinal, um final feliz sem muitos percalços e sem um desenvolvimento crível do romance dos protagonistas não convence, e, felizmente em Princesa das Águas a Paula Pimenta soube trabalhar isso muito bem, produzindo uma narrativa leve, fluída e envolvente.

Arielle Botrel tem 16 anos e é uma das promessas da natação nas Olimpíadas: da qual ela participará pela primeira vez. Filha de um campeão mundial de natação e de uma famosa cantora que morreu de complicações em seu parto, ela também tem cinco irmãs mais velhas que compõem a girl band “Mermaid Sisters”. Uma empreitada da qual ela adoraria fazer parte, se ela não se culpasse pela morte da mãe.

“Claro que ela perguntou se eu também gostaria de cantar, mas mesmo com 7 anos eu já sabia que não poderia fazer aquilo sem que meu pai ficasse sabendo… E eu realmente não queria magoá-lo, fazendo com que ele lembrasse da minha mãe. Então apenas balancei a cabeça e disse que preferia nadar. Foi aí que meu destino foi selado. Troquei os palcos pelas piscinas, os holofotes pelas raias, as melodias pelos treinos e os perfumes pelo constante cheiro de cloro.

E o mais incrível é que por bastante tempo eu fui feliz assim… ” (Página 13)

Como nadadora e como filha caçula, a vida de Arielle é bastante regrada e superprotegida, mas a garota vive tentando dar suas escapadas (que nem sempre dão certo) e em uma dela acaba se deparando com Erico, o atleta queridinho da Suíça e que irá balançar o coração dessa nadadora.

Quando soube que a história se passaria durante as Olimpíadas do Rio de Janeiro, fiquei curiosa para saber como a Paula iria colocar o amor no ar, pois em meio a tantas competições ia ficar meio difícil trabalhar todos os elementos da história que serviu de inspiração. Mas, ela foi criativa em sua solução: uma prévia das Olimpíadas com direito a muitos reality shows dos quais não vou falar muito para não estragar a surpresa. Só vou dizer que isso permitiu que Arielle pudesse tentar conquistar seu príncipe sem poder utilizar sua voz, que as maquinações da vilã fizeram jus à sua contraparte da animação (mesmo sem os poderes) e que inúmeras pistas sobre novas princesas foram deixadas no ar. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Vozes de Tchernóbil (Svetlana Aleksiévitch)

vozes_tchernobil

Ao longo da história da humanidade são muitas as catástrofes que acumulamos: umas de causas naturais, outras intencionais e algumas, resultados do erro e da negligência humana. Quando pensamos em acidentes nucleares, é impossível não lembrar do acidente com o Césio 137 ocorrido em 1987 em Goiânia (particularmente, nós brasileiros); o mais recente ocorrido em 2011 em Fukushima no Japão; e, talvez aquele que mais perdure no imaginário popular, quer seja pela magnitude atingida, pelos efeitos deletérios e/ou pela carga histórica até hoje impingida aos bielorrussos, ucranianos e russos.

No dia 26 de abril de 1986 ocorreram uma série de explosões seguidas de incêndio na usina nuclear de Tchernóbil, localizada em Prípiat na Ucrânia, bem próximo à fronteira da Bielorrússia, e então parte da União Soviética. O acidente lançou grandes quantidades de partículas radioativas na atmosfera da URSS e de boa parte da Europa, transformando Prípiat em uma cidade fantasma, matando milhares de pessoas, plantas e animais, e gerando consequências até hoje enfrentadas pelos sobreviventes e pelos que nasceram após ele. Minúcias do acidente há muito são esmiuçadas, nos livros de história, de ciências, nos documentários…

“Este livro não é sobre Tchernóbil, mas sobre o mundo de Tchernóbil. Sobre o evento propriamente, já foram escritos milhares de páginas e filmados centenas de milhares de metros em película. Quanto a mim, eu me dedico ao que chamaria de história omitida, aos rastros imperceptíveis da nossa passagem pela Terra e pelo tempo. Escrevo os relatos da cotidianidade dos sentimentos, dos pensamentos e das palavras. Tento captar a vida cotidiana da alma. ”

(Página 40)

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Ms. Marvel – Nada Normal (Wilson & Alphona)

ms_marvel_nadanormalcapa

Paquistanesa. Mulçumana. Adolescente. Mulher. Kamala Khan é uma garota comum de New Jersey, com um traço de rebeldia contra as restrições de sua cultura familiar. Historicamente Kamala é expoente de todos os elementos que a deixam à margem da sociedade americana (e há personagens para nos lembrar disso), mas quis a roteirista G. Willow Wilson (acertadamente) garantir o protagonismo à uma personagem que de outra forma estaria renegada aos papeis secundários.

ms_marvel_alphona_concept_art

Com muitas referências aos Vingadores, dos quais Kamala é praticamente presidente do fã-clube, e uma providencial bomba terrígena, Wilson e Adrian Alphona (responsável pelos desenhos) nos apresentam a novíssima Miss Marvel. Uma garota sem papas na língua, destemida, com todas as suas inseguranças de adolescente e que agora precisa lidar com seus novos poderes, e com a imagem de heroína que ela acha que deve e a que ela precisa mostrar para a sociedade e para si mesma. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Nimona (Noelle Stevenson)

nimona

Noelle Stevenson entrou no meu radar com a obra Lumberjanes, uma série em quadrinhos que acompanha as aventuras de cinco amigas que vão passar o verão num acampamento de escoteiros. Uma série criada por mulheres (além de Noelle, Grace Ellis, Shannon Watters e Brooke Allen também respondem pela autoria) e protagonizadas por personagens femininas, da qual só ouvi elogios de quem já conferiu e que acaba de chegar ao Brasil pela Devir. Lumberjanes chamou minha atenção para a ilustradora, e Nimona me deu a certeza de que quero continuar acompanhando seus trabalhos.

Nimona surgiu como uma webcomic, a Noelle publicava uma página por semana no seu Tumblr. E fez tanto sucesso, que a HarperCollins comprou os direitos de publicação antes mesmo da série ser finalizada. A hq foi publicada, com algumas modificações, em 2015.

A trama mistura elementos de cavalaria, magia e ciência, e conta com uma protagonista que encarna a anti-heroína, com ideias ferrenhas e um tanto exacerbadas e um visual que foge de todos os estereótipos. Nimona cativa por quem ela é, mesmo com sua sede pelo mau feito e pelos ânimos um pouco exaltados, mas, principalmente pelo seu humor, sua característica peculiar de se metamorfosear e sua independência. Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

Cidade dos Etéreos (Ransom Riggs)

cidade-dos-etereos

No segundo volume da série O Lar da Srta. Peregrine reencontramos as crianças exatamente onde Riggs as deixou: tendo de abandonar a fenda temporal de Cairnholm e a casa que durante muito tempo chamaram de lar. Jacob escolhera ficar e ajudá-los a curar a Srta. Peregrine presa indefinidamente na forma de ave.

“Éramos dez crianças e uma ave em três pequenos barcos instáveis, remando em silêncio, com vontade, para alto-mar, deixando para trás rapidamente a única baía segura em quilômetros, que se exibia rochosa e mágica à luz azul-dourada do amanhecer.

(…)

… o mundo que eu escolhera, tudo o que eu tinha nele, nossas preciosas vidas peculiares, tudo contido em três lascas de madeira à deriva sobre o olho vasto e sempre aberto do mar. ” (Página 17)

 

A linguagem gráfica, tão característica da série, continua efetiva e Riggs insere também elementos da cultura peculiar por meio do livro fábulas “Contos Peculiares” (já publicado pela Intrínseca) que também têm sua importância para o desenvolvimento da história.

E, se no primeiro livro a descoberta coube inteiramente à Jacob, neste volume a aventura é de todas as crianças. Partir de Cairnholm e ir em busca de outra ymbryne que possa ajudar a Srta. Peregrine, as lança em uma jornada pelas fendas temporais, desbravando novos tempos (na verdade, velhos tempos), esbarrando com outros peculiares, descobrindo novos poderes e enfrentando situações de vida e morte. Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

O Forte – Bernard Cornwell

Durante a Guerra da Independência dos EUA, tropas britânicas foram enviadas ao estado de Massachusetts com o objetivo de construir uma fortificação que seria a base da Marinha Real Britânica, para diminuir os ataques de corsários na região. O major McLean leva seus 700 homens a Majabigwaduce e começa a construir o Forte George. Pouco tempo depois, as forças rebeldes do estado se organizam e partem em uma campanha para expulsá-los.

Do lado britânico, além de Mc Lean, temos o —— Mowat e o tenente John Moore, que viria a revolucionar o exército britânico. Os rebeldes contam com Solomon Lovell, Peleg Wadsworth, Dudley Saltonstall e Paul Revere, este último famoso por sua cavalgada noturna avisando da chegada dos ingleses. E logo aprendemos que Lovell e Saltonstall não se dão bem, e que Paul Revere se ressente todos e não gosta de receber ordens.

Após explorar os detalhes de cada uma das campanhas, os dois exércitos estão frente a frente. O que eles vão fazer ficará para sempre registrado nas páginas da história. Este livro é bastante diferente dos outros livros do autor. Aqui, ele foca bastante nos detalhes dos bastidores dos dois lados da batalha, normalmente, sabemos mais ou menos a mesma coisa que o herói (Sharpe, Uhtred, Thomas ou Derfel). Se por um lado os vários nomes possam deixar o leitor confuso, por outro, a não ser que você já saiba quem ganhou, a história retém seu suspense. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Grupo Editorial Record, Resenhas da Feanari

Sorteio da série Sereia de Vidro

promo_sereia-copy
O autor Marcelo Antinori, da série “A Sereia de Vidro”, entrou em contato comigo com a notícia incrível de que a série vai ser publicada pela Editora Sesi. Para comemorar, ele gostaria de enviar os três primeiros livros para um(a) leitor(a) sortuda do Blablabla!

Estes livros, além de terem uma história bastante interessante sobre as pessoas que moram na São Paulo escondida dos olhos dos turistas, são pequenos e levinhos, tornando-os perfeitos para quem quer ler no caminho do trabalho, mas não tem como carregar uma bolsa gigante para guardar o livro. São melhores que os livros de bolso que não cabem em nenhum bolso.

Leia a resenha do primeiro e do segundo aqui no blog.

Então, sem mais delongas vamos ao sorteio. Ele será realizado no Facebook (Clique Aqui). E as regras são simples:

  • Curtir as páginas do Blablabla Aleatório e do autor, Marcelo Antinori, no Facebook e clicar em QUERO PARTICIPAR.
  • Ter um endereço de entrega no Brasil.
  • Não é obrigatório compartilhar a imagem do sorteio (mas caso queira agradecemos).
  • Você poderá se inscrever até o dia 14/10/2016.
  • O ganhador deverá fornecer os dados completos (incluindo o RG) para envio do prêmio em até 48 horas. Entre em contato pelo e-mail do blog, pelo formulário de contato ou Inbox no FB.
  • O prêmio será enviado diretamente pelo autor em até 30 dias.

Boa sorte!

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Bússola, Editoras Parceiras, Promoção