Arquivo da tag: Eddie

Um Autor de Quinta #23

Coluna inspirada no Uma Estante de Quinta da Mi Muller do Bibliophile. Pretendemos toda quinta-feira trazer informações, curiosidades e algumas dicas de leituras e afins sobre algum(a) autor(a).

Sophia Bennett

Sophia nasceu na Inglaterra em 1966 (tentei descobrir o dia, mas não obtive sucesso). Como seu pai era do exército, passou toda sua infância viajando. Morou na Malásia, foi para a escola em Hong Kong, e também morou em Berlim e na Noruega. A autora tem duas graduações em literatura e já trabalhou nos mais variados empregos, de guia turística à consultora de gestão. Sophia sempre quis ser escritora, mas faltava-lhe confiança para encarar a vontade e correr atrás de seus sonhos. Até que lendo sobre uma promissora nova autora em 1997, que estava escrevendo uma série de um bruxinho ela ganhou a confiança para investir em sua escrita.

Durante 10 anos escreveu três histórias adultas de detetives, um roteiro de televisão e vários contos, mas sem conseguir contratos reais. Casou-se, voltou a trabalhar, teve filhos, até que em 2008 começou a escrever uma história para crianças, foi assim que surgiu a série Linhas. Sophia inscreveu o primeiro livro em um concurso e ganhou o contrato de publicação, e pasmem o homem responsável por publicar seu livro seria Barry Cunningham, o mesmo agente que descobriu JK Rowling!  Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Um Autor de Quinta

Brilhos (Sophia Bennett)

*Atenção, esta resenha pode conter spoiler do enredo do livro anterior da série (embora a gente evite spoiler ao máximo). Já leu a resenha do primeiro livro? Você poder ler a minha opinião sobre Linhas aqui.

Crow, a criança invisível do primeiro livro, é uma sumidade no mundo da moda. Sua nova coleção, lançada pela Miss Teen é um sucesso. Mas, algo aparece para embaçar esse brilho. No site de Eddie começam a chover denúncias sobre a produção das roupas da coleção da Crow. A acusação? Fábricas indianas fazem com que crianças trabalhem até 16 horas por dia (sem intervalo) na fabricação das roupas. Andy Elat, o dono da Miss Teen, por outro lado, fornece relatórios que desmentem essas acusações. Quem está mentindo? É preciso averiguar direto na fonte e Eddie, Nonie e Crow, acompanhadas do irmão fofo da Nonie (o Harry), partem para a Índia. Dessa vez, Jenny fica porque está às voltas com a produção de uma peça teatral.

“Alguns anos antes, eu teria perguntado por que Laskhmi e Ganesh não tentaram voltar para os pais, mas então conheci Crow e agora entendo que algumas coisas são mais complicadas do que podemos imaginar. […] A história dela vai ser diferente da de Crow, mas seja como for, sei que não posso estalar os dedos e fazer com que tudo fique melhor. Gostaria de poder. De verdade.”

Em Brilhos, Sophia Bennett segue incluindo em suas histórias, temas controversos, chocantes e como comentei na resenha de Linhas, assuntos que muitos podem achar um tanto áridos para serem tratados na literatura juvenil. Só, que assim como no livro anterior, Bennet o faz com muita leveza e sensibilidade. A autora emociona, informa e conscientiza, tudo em meio a muito brilho, plumas, náilons, desfiles, lançamentos de coleções… Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Shadow Kiss – Richelle Mead

Atenção: Este post trata do terceiro volume da série Vampire Academy e pode conter spoilers, ou seja, revelar parte do enredo do livro anterior. Para ler a resenha dos livros anteriores, clique aqui e aqui.

 

Shadow Kiss_capa

O terceiro livro da série retoma a história de Rose apenas alguns dias após o fim do segundo.

Sem querer, Rose fica sabendo que Viktor Dashkov, o vilão do primeiro livro, ainda não foi julgado. Como Lissa foi a principal vítima do ataque, ela acredita que a Moroi deveria ser a principal testemunha, mas ela não foi chamada para o julgamento. Ambas as meninas ficam então com medo de que ele possa ser liberado e começam a brigar pelo direito de ir ao julgamento.

Agora Rose e os demais guardiões em treinamento da Academia passarão pela última prova de sua educação: eles devem proteger o Moroi a quem foram designados dos ataques de Strigoi fakes, interpretados por seus professores de combate. Para Lissa e Rose, isso é sinônimo de férias antecipadas, afinal, agora elas serão obrigadas a ficar juntas, né?

Some isso ao fato de que Rose começa a ver Mason, seu amigo que foi morto por um Strigoi e temos o começo da trama deste terceiro livro. Devorei o livro, desesperada para ver a evolução da história de Rose e Dimitri. Além, é claro, do resto da trama e das lutas eternas contra os Strigoi. E fiquei desesperada quando as páginas começaram a acabar.

Como não é raro acontecer, o jeito de escrever da autora vai melhorando de um livro para outro, assim como o nosso vício na história aumenta. De um modo geral, gostei mais deste livro do que dos anteriores, mesmo tendo ficado devastada com o final, surpreendente demais pro meu gosto, e que, como nos demais livros, deixou uma necessidade incrível de ler a continuação. E agora aqui estou eu, desesperada pelo quarto livro, que não estava no box que eu comprei! PRECISO comprar Blood Promise!! AAH!

Compre aqui:

Cultura Submarino Saraiva Travessa Fnac

10 Comentários

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Feanari