Arquivo da tag: Endgame: The Calling

Endgame – A Chave do Céu (James Frey & Nils Johnson-Shelton)

Atenção, esta resenha trata dos acontecimentos do segundo livro da trilogia Endgame e pode haver spoilers (evitados ao máximo) sobre fatos do livro anterior. Para saber o que eu achei do primeiro livro, confira os links no final desta resenha.

A Chave do Céu

“Eles deram a vida aos humanos e vão testemunhar nossa quase extinção, reinicializar o relógio da vida na Terra e deixar que o planeta se recupere dos estragos. Mas os Criadores não deveriam interferir no andamento do Endgame. Eles criaram as regras e agora as estão quebrando. ”

(Página 25)

No início do Endgame eram doze linhagens. Doze jogadores que lutavam para garantir a persistência dos seus. Ao longo do caminho alguns foram ficando. Morreram. Em consequência disso, alguns meteoros também provocaram estragos e deixaram um rastro de mortandade. No primeiro volume o foco era a Chave da Terra, e para encontrá-la alguns se aliaram, por amor ou apenas por interesse mesmo; outros partiram para uma busca de um caminho alternativo, menos destrutivo; outros sofreram na pele a dor provocada pela interferência dos Criadores no Jogo, algo que prometeram não fazer; e outros tiveram que fazer escolhas difíceis, que talvez nunca sejam perdoadas. A Chave da Terra foi encontrada e agora restam apenas duas. De doze jogadores sobraram nove. A Chave do Céu é o alvo de todos, mas não pelos mesmos motivos. Afinal, já que os Criadores mudaram o Jogo, os jogadores também podem interferir com suas próprias jogadas.

Antes de qualquer outra coisa é válido informar que a exemplo do primeiro livro, aqui também há um enigma real a ser desvendado. As pistas estão espalhadas em links e figuras ao longo do livro, e assim como no primeiro volume, continuam não interferindo em nada na leitura da obra. Escolha a sua forma de leitura e seja feliz. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

Endgame – O Chamado (James Frey & Nils Johnson-Shelton)

CAPA_Endgames_WEB

“Quando o jogo começar, precisaremos deliberar, decifrar, nos deslocar e matar. Alguns de nós estão menos preparados e serão os primeiros a morrer. O Endgame é simples assim. O que não é simples, é que, quando um morrer, significará a morte de inúmeros outros. O Evento, e o que vier depois, garantirá isso. Vocês são os perdedores sortudos e os vencedores azarados. Vocês são a plateia do espetáculo que determinará seu destino.” Página 9.

Doze mil anos atrás, seres desceram dos céus e criaram a humanidade. Como eles precisavam de ouro, para extraí-lo, instalaram aqui doze linhagens que deram origem às nossas antigas civilizações. Após terem conseguido o que queriam foram embora, mas não sem antes avisar que um dia voltariam, por causa do Jogo. O Jogo que determinará o futuro da humanidade. O Endgame. Por todos os anos que as linhagens persistiram em segredo, cada uma sempre teve o seu Jogador. Um jovem treinado nas mais diversas perícias, em sua maioria mortais. Quando o Endgame começar, os jogadores terão que achar três chaves que estão espalhadas pelo planeta. Quem achar as chaves primeiro ganha o jogo. Não há regras. O segredo é se manter vivo.

Este é o plot principal delineado por Frey e Johnson-Shelton. Uma trama que promete uma história dinâmica e sangrenta, que já teve seus direitos comprados pela Fox e chega junto com uma jogada empreendedora por parte dos autores. Um prêmio de 500 mil dólares em barras de ouro! Não, você não leu errado. Em paralelo aos enigmas que os jogadores precisarão desvendar nos livros, há um enigma real, que teve início em 07 de outubro do ano passado e ficará disponível até 07 de outubro de 2016 ou até que alguém o solucione. Para participar o leitor tem que apenas seguir as dicas deixadas por eles no livro. A experiência de leitura fica por conta do leitor. Você pode ser apenas expectador do Endgame, ou pode acompanhar as pistas deixadas ao longo da leitura e tentar resolver o desafio. As dicas são sutis e não atrapalham a leitura, bem como não são essenciais para o entendimento da história, podendo ser deixadas de lado sem perdas. Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia