Arquivo da tag: Languedoc

Sepulcro (Kate Mosse)

A Mari já leu e resenhou o livro, para saber o que ela achou clique aqui.

 

A região ainda é Carcassone (Languedoc), mas não é Los Seres o lugar da vez (apesar dele ser citado e alguns personagens da história anterior serem mencionados e até terem alguma relação com a história atual) e sim Rennes-les-Bains. Novamente passado e presente se entrelaçam para criar uma história de mistério, romance e tragédia. Assim como em Labirinto, a narrativa vai e vem no tempo, revelando como a vida de Meredith atualmente está relacionada à vida de Léonie em 1891, tudo aos poucos como uma fotografia que se revela, uma música que se compõe… No início temos novamente a narrativa morna de Mosse (que a um primeiro momento pode acarretar desistências), mas que no decorrer da história fica cada vez mais vívida e frenética à medida que novos fatos nos são fornecidos. Uma característica das personagens de Mosse é serem mulheres de temperamento forte e que não temem o desconhecido, e suas protagonistas da vez não nos decepcionam, ainda que em alguns momentos tenhamos vontade de dar umas sacudidas nelas para ver se elas conseguem enxergar o que está bem a sua frente. Continuar lendo

3 Comentários

Arquivado em Resenhas da Núbia

Labirinto (Kate Mosse)

Apenas mais um livro sobre o Graal? Quando li sobre Labirinto pela primeira vez, esta foi a pergunta que logo surgiu. Tinha dúvidas se a história teria algo de diferente ou se teria caído na mesmice. Resolvi pagar para ver, quero dizer para ler.

Felizmente, meus temores não se confirmaram. É mais uma história sobre o Graal sim, mas é uma história que difere das demais. Só para vocês terem uma ideia não lemos sobre cálices, tigelas… Pois é, só não conto para vocês o que ele é para não estragar a surpresa. Mas, engana-se quem pensa que Labirinto só versa sobre o Graal. Ele tem o seu papel de destaque, mas as histórias que ocorrem ao seu redor e que decorrem de sua busca são a parte mais interessante e emocionante da obra.

Primeiro somos apresentados à Alice Tanner em julho de 2005. Durante uma escavação arqueológica da qual estava participando como voluntária. Durante as escavações Alice guiada por uma sensação que não consegue explicar escolhe um local para explorar e ali ela descobre dois esqueletos. Quem iria imaginar que esta descoberta desencadearia uma série de acontecimentos e que Alice estaria na voragem deles? Logo fica claro que muitas histórias necessitam ser esclarecidas e que sua vida corre perigo… Continuar lendo

8 Comentários

Arquivado em Resenhas da Núbia