Arquivo da tag: Maxon

A Elite (Kiera Cass)

Atenção, esta resenha trata dos acontecimentos do segundo livro da trilogia A Seleção e pode haver spoilers (evitados ao máximo) sobre fatos do livro anterior. Para saber o que eu achei do primeiro livro, confira os links no final desta resenha.

a_elite_capa

“Tempo. Eu vinha pedindo muito tempo ultimamente.

Tenho a esperança de que se tivesse tempo suficiente, tudo ia se resolver.”

Restaram só seis garotas na disputa pelo coração de Maxon. O fim da disputa está cada vez mais próximo, mas as dúvidas são cada vez maiores. America está com o coração dividido entre Aspen e antiga vida que ele representa e Maxon, talvez até pendesse mais para este último se o fato de aceitá-lo não implicasse em aceitar uma coroa que ela não tem certeza se é o que quer realmente. Maxon por sua vez notando a indecisão da amada (se é que isso é desculpa, eu acho que não) começa a colocar as asinhas para fora e experimentar tudo o que a Seleção pode lhe oferecer, o que é bom frisar, é bastante incongruente com tudo o que conhecemos do personagem até aqui (principalmente depois da leitura de O Príncipe). Aspen continua Aspen, não é preciso dizer mais nada. Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Resenhas da Núbia

O Príncipe (Kiera Cass)

o princípe

“Repeti mentalmente suas palavras. Todo esse tempo eu pensei que a escolha seria feita pelo acaso ou então pelo destino… E era apenas o meu pai.”

O Príncipe traz o ponto de vista de Maxon e mostra o outro lado da vida no castelo. O lado regido com mãos de ferro por seu pai, que lhe exige subordinação total, sem nenhuma oportunidade de ter e de defender suas próprias opiniões e sem a existência de uma relação mais estreita entre pai e filho, tão almejada pelo príncipe.

A história começa no aniversário de 19 anos de Maxon, momento a partir do qual ele pode participar da organização do evento que irá escolher sua futura noiva e rainha de Illéa. Na festa, conhecemos Daphne, filha do rei da França e amiga de infância de Maxon. A garota não quer que ele aceite a Seleção. Ao que parece o afeto dela pelo rapaz é mais profundo que o dele por ela, o que acabou me surpreendendo porque lendo a sinopse do conto eu imaginava que seria justamente o contrário e que esse amor não correspondido seria a trama central da história narrada no conto. Daphne serve mais como um banho de água fria que acorda Maxon para os interesses Reais na Seleção, evento que antes ele julgava idôneo, mas que cada vez mais se mostra como a oportunidade do rei atingir seus interesses. Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Resenhas da Núbia