Arquivo da tag: Tolkien

Então, eu reli #1: O Senhor dos Anéis (J. R. R. Tolkien)

Ler apenas novos livros, ou além disso, ler novamente histórias já conhecidas? A Mell Ferraz do canal Literature-se fez um vídeo bem legal falando sobre releituras. Sim, todo leitor, por mais voraz que seja, sabe que mesmo que sua vida seja longa e próspera, ele nunca irá ler todos os livros que deseja ler. Faz sentido então ler novamente uma história que você já conhece? Alguns leitores pensam que não, eu sou daquelas leitoras que acha que por mais que você conheça o início e o fim da jornada, trilhar novamente esse caminho pode gerar gratas surpresas. Tirando alguns livros que já reli mais de uma vez e estão frescos na memória, há outros que já li há muito tempo e que lembro que me marcaram na época, mas que a trama em si já está difusa na memória, porque não os reler? Pode ser que eu me decepcione com alguns, mas posso a vir a me apaixonar novamente por outros, ou passar a gostar mais de algum que não do qual não gostei tanto assim. Isso foi o que me incentivou a criar essa nova seção aqui no blog. E, para estrear com o pé direito eu escolhi O Senhor dos Anéis do Tolkien. Quem já nos acompanha há um tempinho, sabe que a admiração por Tolkien e sua obra foi o que possibilitou que eu e a Mari nos conhecêssemos, no já antigo, mas firme e forte, fórum Valinor. Nada mais justo então que esse livro tantas vezes relido (não tanto quanto eu gostaria) ou pelo menos frequentemente consultado na época do fórum, fosse o escolhido.

Para falar dele, não vou fazer como costumeiramente faço em minhas resenhas, a obra já ultrapassou o patamar de hors concours tão longe, que não consigo fazer uma análise imparcial. Então, vou basicamente me focar nas surpresas que essa releitura me trouxe. No caso de O Senhor dos Anéis, temos uma versão cinematográfica (particularmente considero uma das melhores adaptações cinematográficas) e, ao contrário dos livros que havia relido há tempos, o filme eu revejo todos os anos, às vezes mais de uma vez, e o resultado é que as modificações feitas pelo Peter Jackson acabaram mascarando alguns fatos da obra tolkieniana. Eu sei que nos livros a Arwen tem um papel bem menor na trama do que nos filmes, que foi Glorfindel e não ela que levou Frodo até Valfenda e que Saruman não encontrou seu fim em Isengard, mas ao fazer essa releitura, percebi que o filme já havia modificado muito mais as minhas memórias da obra do que eu supunha. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Então eu reli, Resenhas da Núbia

Onde as Sombras se Deitam (Michael Ridpath)

Onde-as-sombras-se-deitam

Após escrever os primeiros capítulos de O Senhor dos Anéis, Tolkien deixou a obra em banho-maria durante alguns meses enquanto ruminava sobre como fazer para continuar a história e ligá-la ao seu primeiro romance O Hobbit. Bem, não é segredo para ninguém que o Um Anel foi o elo encontrado por ele para unir as duas histórias e criar uma das melhores sagas de fantasia de todos os tempos (ah, me deixa enaltecer um dos meus autores favoritos) e é justamente sobre como ele chegou a essa solução que Ridpath repousa o arcabouço de seu romance policial. Ambientado na Ilha do Fogo e do Gelo, Onde as Sombras se Deitam é o primeiro romance de uma série que tem como protagonista o detetive islandês Magnús Ragnarsson. E Tolkien e sua mitologia foram escolhidos como cartão de visita para que por meio da mitologia, Ridpath nos apresentasse esse país rico em misticismo e lendas. Mas, é lá em Boston que essa história começa… Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editoras Parceiras, Grupo Editorial Record, Resenhas da Núbia

Tolkien Calendar 2014

tolkien-calendar-2014

Pode parecer um pouco precipitado falar sobre o calendário tolkieniano de 2014 quando estamos “apenas” na metade de 2013. Mas, para fãs de todo o mundo, colecionadores em especial, essa é uma oportunidade de ver o mundo de Tolkien revisitado por ilustradores renomados. E ontem o site da Tolkien Library divulgou quem é o ilustrador, ou melhor, a ilustradora escolhida da vez e o tema.

Assim como o deste ano, o tema de 2014 também será O Hobbit, mas no lugar das figurinhas carimbadas agora temos uma artista desconhecida do público tolkieniano: Jemima Catlin. Jemima nasceu em 1986 em Dorset e é formada pela Arts University College de Bournemouth. Desconhecida, mas como bem apontado pelo Pieter Collier é a chance de conhecermos uma visão diferente da famosa história de Bilbo.

O calendário (The Official Tolkien Calendar 2014) contará com 14 ilustrações de Jemima. Também está prevista a publicação de uma nova edição dO Hobbit (nas versões hardcover simples e edição de luxo) com suas ilustrações. Na Amazon já é possível adquirir em pré-venda o calendário.

Para ler a publicação original na Tolkien Library clique aqui.

Clique aqui para visitar a pagina da ilustradora e conferir alguns de seus trabalhos.

1 comentário

Arquivado em Felicidades aleatórias, Lendo aleatoriamente

Lugares nomeados em homenagem à J.R.R. Tolkien

Durante a semana Tolkien eu trouxe a lista de lugares que todo o fã de Tolkien deveria conhecer publicada pela Tolkien Library (se você não leu o post, clique aqui). Na mesma semana desta publicação a Tolkien Library trouxe outra lista bastante interessante: a de lugares (os mais variados) que foram nomeados em homenagem ao professor. Olha só as curiosidades trazidas pelo Pieter Collier.

  • Cratera Tolkien no Planeta Mercúrio

O nome foi aprovado pela União Astronômica Internacional (IAU) em 6 de agosto deste ano. A cratera tem cerca de 48 km de diâmetro e fica muito próxima ao Pólo Norte de Mercúrio. [Fonte ]

  • Asteróide 2675 – Tolkien

Este asteroide foi descoberto em 14 de abril de 1982 por Martin Watt. É um asteroide da cintura principal (entre as órbitas de Júpiter e Marte) e possui um diâmetro de 42 km. No dia 21 de abril de 1982, Watt descobriu outro asteroide (2291) que ele chamou de Bilbo. [Fonte] Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Nerdices aleatórias

15 lugares que todo fã de Tolkien deve visitar antes de morrer

No dia 29 de agosto de 2012 Imogen Reed publicou uma lista interessante no site da Tolkien Library  e apesar de eu não compartilhar o vício em listas do Rob Gordon, tenho que confessar que ao se tratar de Tolkien não consigo me segurar e creio que muitos que admiram a obra do professor também irão gostar desta lista, então, tive que compartilhá-la aqui. Nela, Reed traz lugares em que Tolkien viveu, cresceu e trabalhou, lugares que de certa forma inspiraram-no a criar seu mundo fantástico e até mesmo lugares que ele nunca visitou, mas que marcaram a obra dele por um motivo ou outro. E nada melhor do que trazer essa lista na semana dedicada à Tolkien. Eis os 15 lugares eleitos por Imogen Reed:

Sarehole Mill

Apesar de ter nascido na África do Sul, a família de Tolkien mudou-se para a Birmingham em 1896 quando ele tinha apenas 4 anos. A família morou próximo ao moinho de Sarehole por quatro anos e Tolkien e seu irmão passaram muitas horas brincando ao redor da usina. Muitos acreditam que o lugar serviu de inspiração para o Condado e a Vila dos Hobbits. Tolkien amava o lugar e contribuiu para a restauração de Sarehole em 1960. As terras em volta do moinho são utilizadas para o evento anual Tolkien Weekend que celebra a vida e o trabalho do autor. Sarehole faz parte do Shire Country Park e também da The Tolkien Trail (A Trilha Tolkien) que segue os passos da infância do autor e os lugares que influenciaram sua escrita. O folheto da Tolkien Trail pode ser obtido aqui. Continuar lendo

2 Comentários

Arquivado em Nerdices aleatórias

Aprenda Quenya

Muitos anos atrás, quando eu conheci a obra de J. R. R. Tolkien, uma das coisas que mais me fascinou (e eu tenho certeza de que não foi só a mim) foi o Quenya, a língua dos elfos. Tolkien, como amante de línguas, não se limitou a inventar algumas palavras e jogar num texto: ele realmente CRIOU uma língua, com direito a toda a gramática que uma língua pode ter.

Os fãs mais apaixonados se dedicaram (e dedicam) a entender esta língua bela que o professor criou, e existe um curso para aprendê-la. O autor: Helge Fauskanger. O curso foi traduzido para o português e deu origem ao livro “Curso de Quenya: a Mais Bela Lingua dos Elfos”. Este livro está esgotado faz algum tempo, já que foram impressos poucos exemplares.

 À esquerda, a capa antiga, e à direita, a versão nova.

Para a felicidade daqueles que não conseguiram comprar a primeira leva, a Editora Arte&Letra resolveu lançar a segunda edição do livro, com uma capa nova. Ele já pode ser encomendado no site da editora. A mesma editora também disponibilizou o curso de Sindarin, outra língua dos elfos criada por Tolkien.

Fica a dica para quem sempre quis aprender um pouco das línguas criadas por J. R. R. Tolkien, mas não sabia por onde começar.

6 Comentários

Arquivado em Nerdices aleatórias

Project 365: 141/365

Dia 21 de Maio de 2011

Para ver os outros posts do Projeto, clique aqui

4 Comentários

Arquivado em Project 365