Arquivo da tag: Black Mad Wheel

Um Autor de Quinta #106

Coluna inspirada no Uma Estante de Quinta da Mi Muller do Bibliophile.

 

Josh Malerman

Foto: Doug Coombe (fonte)

 

Desde que li Caixa de Pássaros, fui surpreendida pela forma como Josh Malerman trabalha o medo do impalpável. Mais do que histórias de terror, suas histórias exploram a psique humana e levam a extremos os sentidos humanos. Em Caixa de Pássaros foi a visão, em Piano Vermelho a audição, só podemos ficar curiosos sobre o que Malerman irá aprontar em seus próximos livros, mas sempre poderemos esperar por futuros pós-apocalípticos, thrillers com elementos sobrenaturais e locações para lá de esquisitas. Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Um Autor de Quinta

Piano Vermelho (Josh Malerman)

Em Caixa de Pássaros, Malerman soube trabalhar muito bem o medo do impalpável, daquilo que não se pode ver, simplesmente porque vê-lo pode sanar sua curiosidade, mas também levá-lo à morte. Em Piano Vermelho, novamente o medo do desconhecido entra em cena, mas o sentido explorado é outro. Agora não temos mais de usar vendas, mas garantir um protetor auricular pode ser uma boa ideia.

A história começa com um paciente acordando em um hospital. O soldado Philip Tonka é considerado um sobrevivente sem precedentes, ficou em coma durante 6 meses e seus ferimentos são inexplicáveis. O que aconteceu com ele? E com seus companheiros de missão? O Exército irá querer respostas. O que Philip poderá revelar?

“As perguntas virão. Philip sabe disso. Perguntas sobre a África e sobre a origem do som. Perguntas sobre o restante do pelotão, sobre os Danes, sobre o que Philip ouviu e o que gravou lá. Perguntas mais malucas, também. Tipo: quem levou Ross? Quem levou os outros? E para onde? E por que você parece tão assustado, soldado Tonka, com essas perguntas tão simples?

As perguntas virão.

E, quando vierem, que parte Philip vai poder contar?

Que parte vai revelar? ” (Página 25)

Continuar lendo

4 Comentários

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia