Leia Mulheres: Resistência

Não há dúvidas de que os tempos são sombrios e a escalada do ódio gratuito distribuído por aqueles que usam como desculpa a mudança e o inconformismo tem espalhado o terror por terras brasileiras e distribuindo o pânico (e como razão) principalmente entre as minorias. Quando a defesa de seus ideais é feita na base da porrada, facadas, tiros e bombas, há que se pensar o quão democrático esse processo é. Quando para fazer valer sua verdade você silencia a voz do outro, há que se pensar o quão democrático esse processo é. Quando seguem ferindo nossa existência, é preciso aprender a ser resistência. E já que a preocupação com o que vem por aí está interferindo diretamente no meu ritmo de leitura, sim as resenhas irão minguar, vamos fazer uma postagem do Leia Mulheres um pouco diferente. Em vez de indicar autoras, indicarei livros. Livros que falam sobre resistência, sobre perseverança nos momentos mais desesperadores e sobre resiliência para resistir às agruras. Um verdadeiro exercício de empatia, alguns importantes registros de períodos da história que muitos ainda teimam em esquecer.

Foto de Kyle Glenn disponível no Unsplash.

O Conto da Aia (Margaret Atwood) [Amazon]

A obra escrita em 1985 traz uma sociedade na qual a ingerência do Estado e da religião tornou o papel da mulher na sociedade amplamente restrito, uma história que infelizmente ecoa muito da ingerência de muitos grupos políticos e dos casos de violência levados aos extremos do feminicídio.

Mulheres Sem Nome (Martha Hall Kelly) [Amazon]

Para criar a história de Mulheres Sem Nome, Martha Hall Kelly se inspirou na história da socialite, ex-debutante e ex-atriz da Broadway Caroline Ferriday que teve um forte envolvimento com as causas humanitárias, principalmente com as mulheres polonesas libertas do campo de Ravensbrück no pós-guerra além é claro de todo o trabalho político no qual acabou envolvida para garantir que as pessoas que cometeram atos terríveis durante a Segunda Guerra Mundial fossem punidas. Hall Kelly dá uma bela lição sobre empatia e faz uma ode às mulheres que estabeleceram uma rede de auxílio à outras mulheres nesses tempos tão sombrios. Continuar lendo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Leia Mulheres

TAG dos Livros Clássicos

Depois de um tempinho sem responder TAGs literárias por aqui, vamos retomar desta vez falando sobre livros clássicos, histórias que seguem bastante pertinentes, praticamente atemporais e que continuam nos encantando. Vi essa no canal da JotaPluftz (vocês podem ver o vídeo dela clicando aqui), mas ela foi traduzida pela Tatiana Feltrin (clique aqui para ver o vídeo da Tati).

Seguem as perguntas:

  1. Um livro superestimado que você não gosta.

Eu não posso dizer que o livro seja realmente superestimado, mas dentre a minha lista de livros já lidos e dos que comecei a ler, mas não terminei, só restou O Pêndulo de Foucault do Umberto Eco, um livro que infelizmente não me prendeu.

  1. Época sobre a qual você mais gosta de ler.

As histórias que se passam durante os séculos 18 e 19: tramas que abordam ou tem por pano de fundo a Revolução Francesa, a Era Vitoriana, as Guerras Napoleônicas, o período abolicionista…. Também são leituras constantes os livros do período entreguerras e da Segunda Guerra Mundial. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, TAGs

Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios (Marçal Aquino)

Só conhecia o Marçal Aquino por seus livros juvenis. Histórias sempre envolvendo mistérios, investigações e muito perigo. De certa forma, essas características são como marcas registradas dos livros do autor, Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, romance voltado ao público adulto, também está carregado deles. As tensões políticas e sociais na pequena cidade de garimpeiros no interior do Pará; os perigos do relacionamento clandestino e conturbado entre Cauby e Lavínia; a paixão destinada à tragédia. Mas, mais do que perigos, traições e assassinatos, o romance de Marçal é uma ode ao amor inesperado, desajeitado, repleto de paixão e de uma intensidade avassaladora. Tudo isso em uma narrativa envolvente que nos torna confidentes ansiosos de seus desdobramentos. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Desafios Literários, Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Colecionando Textos #21

 

 

*Free Online Logo Maker. https://www.designevo.com

Deixe um comentário

Arquivado em Colecionando Textos, Lendo aleatoriamente

Logo, Logo (Kelly Weinersmith & Zach Weinersmith)

Em Logo, Logo a bióloga Kelly Weinersmith e o cartunista Zach Weinersmith exploram dez campos tecnológicos em desenvolvimento. Sim, isso mesmo, é um livro de divulgação científica. Nele os autores fornecem em cada capítulo um panorama sobre a tecnologia que está sendo apresentada, em que ponto ela está no momento, quais são os pontos em que precisa melhorar e como seu desenvolvimento mudará nossas vidas (para o bem e para o mal). Também há espaço para notas históricas e políticas sobre figuras que tiveram sua importância no tema que está sendo discutido, e algumas dessas notas são bastante peculiares.

O livro está dividido em três seções que exploram tecnologias que vão do macro ao micro. Na primeira seção está em foco o universo e Kelly e Zach além de esmiuçarem as diferentes proposições teóricas para baratear o lançamento de foguetes, vão além e também discorrem sobre a mineração em asteroides visando a obtenção de matéria prima para a colonização humana do espaço. Pode parecer ficção científica, e realmente muita coisa ainda é, mas há também muita ciência básica e muita tecnologia envolvida, e as projeções são empolgantes. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia

As Últimas Testemunhas (Svetlana Aleksiévitch)

As Últimas Testemunhas, publicado originalmente em 1985, é o segundo livro de Svetlana. Nele ela resgata as memórias de quem era criança durante a devastação da Bielorússia na Segunda Guerra Mundial. Assim como em seus outros livros, neste ela segue experimentando esse gênero literário que muitos ainda relutam em chamar de literatura, o romance-testemunho. A compilação de um coro de vozes, palavras e memórias que podem não pertencer a Svetlana, mas que são ouvidas, sentidas e trabalhadas com empatia e sensibilidade palpáveis. São narrativas arrebatadoras, repositórios de períodos históricos que não podemos nos permitir esquecer.

“Talvez ela tivesse oito anos, talvez dez. Como ia adivinhar pelos ossinhos? Não eram pessoas que andavam ali, mas esqueletos…. Logo ela ficou doente, não conseguia levantar e ir para o trabalho. Eu pedia para ela… No primeiro dia inclusive eu a puxei até a porta, ela se segurou na porta mas não conseguia andar. Passou dois dias deitada, e no terceiro vieram pegá-la e levaram na maca. Só havia uma saída do campo: pela chaminé…. Direto para o céu… ” (Página 146)

Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Colecionando Textos #20

 

 

 

*Free Online Logo Maker. https://www.designevo.com

Deixe um comentário

Arquivado em Colecionando Textos, Lendo aleatoriamente

O Canto do Dodô (David Quammen)

“O que ele quis dizer é que um ecossistema – sob certas condições especificáveis – perde diversidade do mesmo modo que uma massa de urânio verte elétrons. Como um gotejamento incessante, extinções ocorrem, constantemente, sem nenhuma causa evidente. Espécies desaparecem. Categorias inteiras de plantas e animais deixam de existir. Quais são as condições especificáveis? Pretendo descrevê-las ao longo deste livro, e também investir contra a ilusão de que os ecossistemas decaem sem causa. ” (Página 12)

Lembro que fiquei com vontade de ler o livro do David Quammen assim que a Companhia das Letras anunciou sua publicação no Brasil (isso lá em 2008), simplesmente por causa do título (tá, também por ser um livro de divulgação científica da área da biologia). Mas ei, qualquer biólogo com um interesse maior em evolução tem um certo fascínio por espécies emblemáticas da história da Terra. As tartarugas e os tentilhões de Darwin, a rã-dourada-do-panamá, os araus-gigantes, o tilacino ou o dodô. Uma agigantada espécie de ave da família dos pombos que vivia em Maurício, aliás endêmica da ilha. Uma espécie que prosperou por um longo tempo, até que a caça perpetrada por nossa espécie a dizimou em menos de um século. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Colecionando Textos #19

 

 

*Free Online Logo Maker. https://www.designevo.com00

Deixe um comentário

Arquivado em Colecionando Textos, Lendo aleatoriamente

A Princesa Prometida (William Goldman)

A Princesa Prometida, de William Goldman, foi publicado em 1973. Em 1987 ganhou um filme (com roteiro do próprio Goldman) que fez da obra um grande sucesso e com grande influência na cultura pop, sendo comum as referências à história de Buttercup e Westley. Apesar disso tudo, tenho de confessar que não conhecia a história de Goldman, nem nas páginas, nem nas telas. E, se não fosse por esse relançamento da Intrínseca, talvez nunca conhecesse essa história que mistura elementos de comédia, aventura, fantasia, romances de capa e espada, histórias de amor e contos de fada. Com tantos elementos diferentes, a história bem poderia ter se tornado uma salada russa, mas Goldman conseguiu colocar ordem na balbúrdia e entregou uma trama fluida, divertida, emocionante e com alguns personagens bastante cativantes (outros você só irá odiar mesmo). Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Intrínseca, Editoras Parceiras, Resenhas da Núbia