Pequenas Maravilhas: como os micróbios governam o mundo (Idan Ben-Barak)

zahar_peq_marav_microb_gov_mundo

O que são micróbios? O que eles fazem? Como eles influenciam nossa vida? São essas perguntas e outras tantas mais que Ben-Barak propõe responder em seu livro Pequenas Maravilhas. Apaixonado pelos seres microscópicos resolveu extravasar esse amor ao mundo e deixar registrado no papel o quão importante esses organismos são para o funcionamento da natureza e a manutenção da vida.

“Quero lhe contar algumas histórias sobre micróbios. Mas estou com um problema: se eu entrar em explicações detalhadas e rigorosas sobre ideias e termos biológicos, gastaria muito tempo e muito papel, este livro se tornaria um livro acadêmico e eu acabaria perdendo o leitor. Por outro lado, se eu simplesmente começar a tagarelar sobre fatores sigma e RNAsi, você talvez decida me mandar passear.

Não quero transformar você em um microbiologista. Ser microbiologista é uma coisa para a qual os microbiologistas é que foram mandados à Terra.”

Como bem evidenciado pelo autor no trecho acima, ele não quer formar microbiólogos e sim trazer informações sobre esses seres microscópicos, de forma que um leigo possa entender. Por isso, seu texto é simples, e apesar de citar processos complexos, ele o faz de forma clara e objetiva, mas faz questão de frisar que o processo é complexo e indica para os leitores mais curiosos, leituras complementares. Ah, e sim, como grande parte dos livros de divulgação científica, o livro é repleto de notas de rodapé, mas em sua maioria, além de complementares elas são bastante divertidas. Em algumas partes o texto beira à poesia, por mais que você neste momento esteja achando que é impossível fazer poesia envolvendo micróbios e que eu tenha que confessar que enxergar poesia na natureza é algo inerente à natureza do biólogo, culpada.

Micróbios estão envolvidos na fabricação do vinho, da cerveja e de mais um tanto de outros alimentos, alguns vivem nos ambientes mais inóspitos da Terra e outros tantos (milhões e milhões) vivem mais próximos de nós do que imaginamos. Você sabia que a razão entre células microbianas e células humanas em nosso corpo é de dez para uma? Um a dois quilos de nosso peso são puros micróbios, isso pode no mínimo até parecer nojento, mas tem lá seu motivo. Controle cerebral? Doenças e condições mentais que parecem estar associadas a micróbios? Isso sim é assustador, controverso, curioso, preocupante e de por caraminholas (isso se já não tiver outras coisas por lá) em sua cabeça. Mas as doenças são só uma ínfima parte de todas as informações que o autor traz.

Fonte: Hipernews

Fonte: Hipernews

Ele também discorre sobre as inúmeras pesquisas científicas que são feitas com base nesses minúsculos seres. Desde estudos evolutivos e sociais, controle biológico de pragas, tratamento de lixo radioativo, passando pelo uso de vírus no tratamento de cânceres e em terapias gênicas e até ideias mais mirabolantes e que pasmem, estão gerando respostas surpreendentes e sugerindo possibilidades mais estrambólicas ainda. Além disso, os que gostam de história da ciência e em saber um pouco mais sobre como alguma descoberta importante ocorreu também terão alguma coisa a aprender, como a sorte inicial de Alexander Fleming na descoberta da penicilina e os posteriores esforços em produzir quantidades utilizáveis do composto por Howard Florey e Ernest Chain, ou as histórias um pouco mais bizarras de pesquisadores que para comprovarem que micróbios estavam por trás de temíveis doenças não pensaram duas vezes em submeter o próprio corpo às infeções.

Ao final de cada capítulo alguns adendos: números curiosos, os incríveis poderes dos tardígrados, esquetes, uma declaração de amor e o surto de mortes virtuais no World of Warcraft em 2005 que se mostrou uma oportunidade de ouro para os epidemiologistas.

Ben-Barak propõe uma conversa e ele consegue mantê-la ao longo de todo o texto. Um papo descontraído, informativo e com uma boa dose de humor, mesmo quando o assunto tratado parece um tanto escabroso. Ouso dizer que até um leitor não tão leigo assim no assunto, irá se divertir e descobrir alguma curiosidade que desconhece. O livro ainda conta com um glossário e uma seção de leituras recomendadas que vão desde livros textos, passando por livros de divulgação científica, revistas científicas e sites e blogs dedicados ao assunto. Caso ele consiga te deixar curioso com as informações que traz, ele não te deixará a ver navios, e lhe mostrará meios pelos quais essa curiosidade pode ser sanada, ou como mais frequentemente ocorre, aumentada.

Algumas citações interessantes:

“Um momento “eureca”, por mais brilhante que seja, nunca é suficiente.”

“[…] uma doença comum em meu meio, de pesquisadores, é a síndrome da visão em túnel: eu estava tão preocupado com meu próprio projeto que até o laboratório ao lado não passava de uma névoa indistinta.”

“A ciência é uma jornada, não um destino. Qualquer pessoa que apresente a ciência como um corpo de fatos fundamentalmente fidedigno e organizado provavelmente estará tentando lhe vender alguma coisa.”

Compre aqui:

Cultura Submarino Saraiva Fnac Fnac Fnac
Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Lendo aleatoriamente, Resenhas da Núbia

Gostou do post, então comenta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s