O Maravilhoso Agora (Tim Tharp)

maravilhoso-agora

O Maravilhoso Agora, talvez estivesse predestinado a ser daqueles livros que talvez eu nunca fosse me dar conta dele, que acabaria passando despercebido em meio a tantos livros marcados como desejos de futuras leituras, isso porque tudo o que a sinopse da história de Tim Tharp promete é mais um romance adolescente. O envolvimento romântico entre duas pessoas completamente diferentes: ele, o rei das festas, o amigo da galera; ela, a nerd incompreendida, o desastre social. Histórias com esse mote há aos montes por aí, então não seria algo que me chamaria atenção para esse livro em particular. Provavelmente eu nunca teria conhecido Sutter Kelly se não fosse pela resenha que a Anica publicou em seu blog (o Hellfire Club) quando O Maravilhoso Agora era ainda apenas The Spectacular Now e nem havia previsão de sua publicação cá no Brasil. E eu nem me atrevo a sonhar em escrever uma resenha tão pormenorizada e certeira como a da Anica, e recomendo que aos que tem dúvida quanto à história ou estão indecisos se vale a pena ler ou não, que passem por lá e confiram seu texto.

Mas voltado ao livro. Se não é apenas mais um romance juvenil, então do que trata O Maravilhoso Agora? Traz a história de Sutter Kelly, um garoto que está no último ano do ensino médio, mas que ao contrário de todos os seus colegas que vivem de fazer planos para a vida pós-formatura, ele é extremamente apegado ao presente, de sentir PAVOR do futuro. Além disso, para Sutter a vida é uma constante festa e deve ser celebrada, de preferência com um 7Up e um whisky, em qualquer hora do dia ou noite. Sutter é o garoto carismático, que gosta de todo mundo, se dá bem com todo mundo e para quem não há tempo ruim. Ele é daquelas pessoas que fica feliz com a felicidade dos outros. Como não simpatizar com alguém que transborda tanta empatia? Mas em meio a tanta festa o que fica claro é que a relação do garoto com as bebidas ultrapassa qualquer limite aceitável, ainda que ele se utilize de justificativas tão fortes e mirabolantes para negar o problema com elas. E ele pode até falar que não bebe para esquecer, ou para fugir e que sua vida é maravilhosa, mas ao conhecermos um pouco mais de seu passado e percebermos que lhe falta a perspectiva de um futuro fica difícil acreditar nessa desculpa… Continuar lendo

1 comentário

Arquivado em Editoras Parceiras, Grupo Editorial Record, Resenhas da Núbia

Segunda Sombria (Nicci French)

Segunda Sombria

Nicci French é o pseudônimo adotado pelo casal de jornalistas Nicci Gerrard e Sean French, eles que também escrevem separadamente já publicaram mais de 15 romances a quatro mãos. Segunda Sombria (Blue Monday) é o primeiro volume de uma série que já conta com quatro livros publicados e traz como protagonista a psicoterapeuta Frieda Klein e promete uma mistura de romance psicológico, investigativo e procedural com uma pitada noir. Para conferir o tom sombrio da obra, os autores souberam usar com propriedade o espaço e a caracterização dos protagonistas. Toda a narrativa se passa em Londres em pleno inverno e frequentemente boa parte da ação ocorre no período noturno. Frieda Klein é uma antissocial de carteirinha. Apta e boa em ouvir, compreender e ajudar as pessoas a enfrentarem seus medos, ela tem seus próprios esqueletos no armário e mantém o mundo à parte, preza pela organização e luta contra tudo e todos para manter-se assim. O investigador Karlsson não é lá muito melhor, mas conta com um adendo que faz a dupla funcionar: falta-lhe a fleuma que Frieda tem de sobra. O que contribui para bate-bocas impagáveis entre os dois. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editoras Parceiras, Grupo Editorial Record, Resenhas da Núbia

Contando Estelas – Helen Dunmore

Na Roma de Julio César, sobre a qual eu estou lendo nos livros de Conn Iggulden, vivia um poeta que se tornaria imortal pela sua obra. Caio Valério Cátulo descrevia em seus poemas a vida em Roma, e as pessoas que lá viviam. Como poeta, não poderia deixar de se apaixonar perdidamente por alguma mulher completamente inapropriada para ele. Lésbia, em seus poemas, Clódia, na vida real, era uma mulher casada, dez anos mais velha e tinha pelo menos outros cinco amantes.

Helen Dunmore utilizou as informações que Cátulo e outros poetas contemporâneos deixaram em seus poemas para recriar a história de amor entre ele e sua Lésbia. A história conturbada envolve envenenamento, traições e vinho, muito vinho.

É um estilo diferente de livro, não diria que é em primeira pessoa, mas também não é em terceira pessoa. A autora escreve de uma maneira que parece que o narrador é consciente do que está acontecendo, como se fosse autobiográfico. Em alguns momentos, até fiquei confusa com esse estilo, mas sem desmerecer, apenas por ser diferente do que normalmente lemos. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editoras Parceiras, Grupo Editorial Record, Resenhas da Feanari

Não Há Limites (Reginaldo Lincoln)

Porque Vanguart é Muito Mais que o Amor e o primeiro single do trabalho solo do Reginaldo Lincoln está muito lindo! <3

 

Mais informações: http://www.reginaldolincoln.com/

Deixe um comentário

Arquivado em Sexta-Feira Musical

A Feast for Crows – George R. R. Martin

*Atenção, este livro é o quarto da série As Crônicas de Gelo e Fogo e esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores. Quer saber o que nós achamos dos livros anteriores? No final da resenha disponibilizo os links.

Com a maior parte dos combatentes da Guerra dos Cinco Reis fora do tabuleiro, George R. R. Martin nos mostra como ficaram as peças restantes. Temos olhos em boa parte dos Sete Reinos graças às personagens espalhadas pelo mapa. Os aspirantes ao Trono de Ferro tramam para vencer a guerra dos tronos, e a trama se complica.

O quarto livro da série “A Game of Thrones” “A Song of Ice and Fire” é, inicialmente, o mais fraco. Cheio de personagens novas, com as quais ainda não simpatizamos, e sem nossos já definidos favoritos, é complicado de ler. Afinal, o que nos importa o que acontece em Dorne frente a Daenerys e seus dragões? E por que ler sobre as Ilhas de Ferro quando queremos é Tyrion?? Sim, é difícil, mas é necessário. Inicialmente, o autor havia planejado um “Cinco anos depois…” entre o terceiro e o quarto livros (e o quinto livro seria o quarto). No entanto, ao escrever a história desse modo, ele se viu precisando descrever muitos flashbacks, ou com um prólogo de 200 páginas. Então pareceu lógico diluir isso ao longo do livro – o qual ficou então muito longo para ser publicado em apenas um volume. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Resenhas da Feanari

Princesa Adormecida (Paula Pimenta)

imagem

Princesa Adormecida é o primeiro livro de uma série de releituras de contos de fadas que serão publicadas pela Paula Pimenta pela Galera Record. A ideia surgiu após o sucesso do seu conto “Princesa Pop”, uma releitura da história da Cinderela publicada na antologia O Livro das Princesas (e que eu ainda não li!). Parece ser consenso que a história favorita do livro é a criada pela Paula, e isso em um livro que também conta com contos da Meg Cabot, Lauren Kate e Patricia Barboza. Todas as resenhas que li sobre o livro elogiam muito a história da heroína DJ, e conhecendo o trabalho da Paula de seus outros livros é claro que iniciei a leitura com expectativas altas. Então, foi um pouco frustrante não encontrar a narrativa tão característica da Paula que me conquistou lá em Fazendo Meu Filme. Não que a história seja ruim, Áurea/Anna é uma boa protagonista e a narrativa da Paula ainda guarda os elementos tão presentes em seus outros textos: música, o amor pelos animais; além disso, o papel primordial do celular na história acrescentou um charme a mais. Mas sinto que faltou um quê a mais, sobretudo faltou um maior investimento na trama e no desenvolvimento dos personagens. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Resenhas da Núbia

Vinte Garotos no Verão – Sarah Ockler

É o aniversário de quinze anos de Anna. Sua família e seus melhores amigos, Frankie e Matt, estão comemorando. O maior sonho de Anna se realiza: Matt a beija. Ela é apaixonada por ele desde os dez anos. Depois do primeiro beijo, eles se encontram secretamente, e planejam como vão contar que estão juntos para Frankie. Ela é irmã de Matt, e pode se sentir excluída do trio se eles não contarem do jeito certo. Matt quer esperar até a viagem da família à costa leste dos Estados Unidos, uma ocasião em que a irmã com certeza estará feliz.

Um dia antes da viagem, voltando para casa da sorveteria favorita deles, o trio inseparável se envolve em um acidente, e Matt morre. Tudo muda. Anna não sabe como lidar com a perda dele, e não pode contar para Frankie o quanto compartilha o luto dela e da família.

Matt – o Matt, filho de Red e Jayne, irmão de Frankie, o meu Matt – morrera de um ataque cardíaco. A partir desse dia tudo o que mais importava em minha existência só… deixou de importar.

Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editora Novo Conceito, Editoras Parceiras, Resenhas da Feanari

Proposta Inconveniente – Patricia Cabot

Payton Dixon está de volta à terra firme. Ela passa a maior parte do ano a bordo de um dos navios da companhia de seu pai, viajando pelo mundo com os seus irmãos. Agora a família Dixon está na Inglaterra para prestigiar o casamento de Connor Drake com a doce Srta. Whitby. Connor é um dos principais capitães da Companhia de Navegação Dixon e Filhos, e é um grande amigo dos irmãos de Payton, e é claro que Payton está apaixonada por ele desde que se entende por gente.

Connor estava acostumado a enxergar Payton como o quarto irmão Dixon, e nunca conseguia ver a mulher escondida por baixo das roupas masculinas que ela usa nos navios. Quando Georgiana, a cunhada de Payton, a convence a usar um espatilho e roupas femininas para o casamento, Connor finalmente vê a mulher bela que ela se tornou. Obviamente, quando ele percebe isso, é tarde demais para cancelar o seu casamento. Continuar lendo

Deixe um comentário

Arquivado em Editoras Parceiras, Grupo Editorial Record, Resenhas da Feanari

Sorteio: Se eu Ficar (Novo Conceito)

unnamed

E para começar o final de semana, nada melhor do que uma promoção! Em parceria com a Editora Novo Conceito trazemos para vocês o sorteio de 1 exemplar de Se eu Ficar (Gayle Forman). A promoção é uma ação conjunta com a Novo Conceito que para divulgar o lançamento do livro no Brasil decidiu sortear 103 exemplares. Isso mesmo, 103. Cem exemplares serão sorteados por blogs (1 aqui no Blablabla) e três nas redes sociais da editora. Só uma dica:

Corre para seguir o Facebook, Instagram e o Twitter da Novo Conceito.

Então, sem mais delongas vamos ao sorteio. Ele será realizado no Facebook. E as regras são simples:

  • Curtir as páginas do Blablabla Aleatório e da Editora Novo Conceito no Facebook e clicar em QUERO PARTICIPAR no Sortei.me.
  • Ter um endereço de entrega no Brasil.
  • Não é obrigatório compartilhar a imagem do sorteio (mas caso queira agradecemos).
  • Você poderá se inscrever até o dia 04/08/2013.
  • O ganhador deverá fornecer os dados completos (incluindo o RG) para envio do prêmio em até 48 horas. Entre em contato pelo e-mail do blog, pelo formulário de contato ou Inbox no FB.
  • O prêmio será enviado diretamente pela editora em até 30 dias.

Sobre o livro: 

Se eu Ficar traz a história de Mia, uma garota de 17 anos que acabou de passar por uma tragédia. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera… e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.

Eu já li e resenhei o livro aqui no blog (há muito tempo), confira AQUI. Mas, estou doida para ter essa nova edição em mãos. E que logo mais estará nas telonas.

Boa Sorte!

1 comentário

Arquivado em Editora Novo Conceito

O Festim dos Corvos (George R. R. Martin)

*Atenção, este livro é o quarto da série As Crônicas de Gelo e Fogo e esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores. Quer saber o que nós achamos dos livros anteriores? No final da resenha disponibilizo os links.

 o-festim-dos-corvos

“Os sonhos de lobo eram bons. Neles, ela era rápida e forte, perseguindo as presas com a alcateia atrás de si. Era o outro sonho que odiava, aquele em que tinha duas pernas em vez de quatro patas. Neste, andava sempre à procura da mãe, aos tropeções, por uma terra devastada repleta de lama, sangue e fogo.” página 434.

 

A conclusão do terceiro livro da série As Crônicas de Gelo e Fogo (A Tormenta de Espadas) até agora é o que possui um dos melhores finais. Soube dosar bem toda a carnificina característica das obras de Martin com o lado sobrenatural que começou a dar mostras de como pode tornar essa história ainda mais dramática. Foi daquelas conclusões de te deixar no afã doentio pela continuação. Ao escolher ceifar boa parte de seus personagens, Martin também encerra um ciclo e suscita dúvidas sobre os rumos que a história irá tomar. É de se esperar portanto que o leitor parta para a leitura do quarto livro da série com a expectativas lá em cima, o que infelizmente pode desapontar os mais afoitos.

Felizmente como já havia sido avisada de que este talvez fosse me desapontar um pouquinho, iniciei a leitura de O Festim dos Corvos com expectativas baixas e ciente de que o tamanho colossal do livro pudesse contribuir para que ela fosse ainda mais demorada. Ainda assim me surpreendi. Sabe o final eletrizante do livro antecessor? Suas consequências mais imediatas ficaram relegadas ao segundo plano. Só está presente por meio de dicas esparsas ao longo da leitura e nos permite um vislumbre apenas nos capítulos derradeiros. Isso porque Martin, prolixo que é, acabou prolongando-se demais na narrativa, o que o obrigou dividir um único livro em dois. Isso mesmo, O Festim dos Corvos e A Dança dos Dragões (livros quatro e cinco respectivamente) podem ser entendidos como uma obra única. Como Martin mesmo frisa na nota ao final do livro, ao se deparar com a enormidade do livro que tinha em mãos ele tinha duas alternativas: contar metade da história para todos os personagens, ou contar a história toda para metade deles e depois retomar a história para a outra metade; ele escolheu a segunda. Foi assim que O Festim dos Corvos acabou focando-se nos conluios, tramas e armações de Porto Real, na disputa pela Cadeira de Pedra do Mar dos Greyjoy, nas batalhas empreendidas pelos Lannister para manter seu poder e em alguns jovens lobos dispersos pelo reino e sedentos de vingança. Todos os outros acontecimentos: Muralha, Terras Livres, dragões, selvagens, corvos de três olhos, Senhor da Luz e etecetera ficam em suspenso, sendo retomados em A Dança dos Dragões. Continuar lendo

5 Comentários

Arquivado em Resenhas da Núbia